• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'Se eu fosse morto seria mais um inocente', desabafa pai de bebê que morreu em Cariacica

Polícia

'Se eu fosse morto seria mais um inocente', desabafa pai de bebê que morreu em Cariacica

A suspeita inicial era de que a criança havia sido espancada e abusada sexualmente, versão negada pela polícia

O pai e uma tia do bebê que morreu com uma infecção desabafaram sobre o que aconteceu no Pronto Atendimento de Alto Lage, em Cariacica, na noite dessa quinta-feira (17). A suspeita inicial era de que a criança havia sofrido agressões, o que resultou em um quase linchamento dos familiares. Os maus tratos, no entanto, não foram confirmados pela polícia.

O pai da criança, que preferiu não ser identificado, foi suspeito de ter violentado o próprio filho, um bebê de apenas cinco meses. Ele já estava no PA quando o filho, que estava em casa com a tia, chegou ao local passando muito mal. O pai estava acompanhando a mãe da criança, internada desde quarta-feira (15), com quadro de infecção.

De acordo com a polícia, a morte da criança foi constatada ao dar entrada no hospital. Segundo os policiais, o bebê estava com alguns hematomas pelo corpo e a suspeita era de que ele havia sofrido abusos e agressões físicas.

O pai conta que ficou sabendo da morte do filho e da suspeita de maus tratos pela polícia, que o ajudaram no local. "Houve reforço e os policias deram apoio. Eles trouxeram a gente para casa e perguntaram aos vizinhos sobre a nossa relação com os filhos e eles disseram que era normal", relatou.

A tia do bebê, uma dona de casa que também não quis ser identificada, foi quem levou a criança ao PA, depois de perceber que ele não estava bem. "Ele estava roxinho, começou a vomitar e tremer. Foi aí que liguei para o pai dele", contou.

Segundo o pai e a tia, eles foram humilhados dentro do Pronto Atendimento e quase foram linchados pela população. "Eles mandaram a gente sentar no chão e começaram a nos xingar, dizendo que a gente tinha espancado o menino até a morte e mandando a gente confessar. Só depois nos levaram para dentro. Se eu fosse linchado e morto? Mais um inocente com uma criança para criar", desabafa o pai.

A família conta que, na última terça-feira (14), a criança já havia passado mal. Ela recebeu atendimento médico na Unidade de Saúde de São Geraldo, em Cariacica. No receituário, os médicos que atenderam a criança anotaram os medicamentos, mas nada de grave foi constatado na ocasião.

O casal, o bebê e um outro filho, de apenas 1 ano, vieram de Linhares, onde moravam, há apenas dois meses, para tentar uma vida melhor na Grande Vitória. "Meu coração está arrasado. Não tenho palavras, mas temos que superar. Deus sabe o que faz", lamenta o pai.


Confira o vídeo da matéria: