Colatinenses querem farmácia 24h

Polêmica

Uma questão que até hoje não é compreendida pelos moradores de Colatina, na região noroeste capixaba, é como um município com 120 mil habitantes até hoje não tem farmácias abertas 24 horas, todos os dias da semana. Quem depende de medicação depois das 20h fica na via crucis atrás de uma farmácia de plantão – e são poucas disponíveis.

Projeto

Isso porque, desde 2013, uma lei municipal determina que apenas as farmácias do rodízio de plantão podem funcionar depois das 20 horas. Por semana, são três farmácias do centro e uma da região de São Silvano. Quem mora nos demais bairros fica refém dessa limitação.

Mudança

Há dois anos, o atual prefeito Sérgio Menegueli (MDB) enviou um projeto de lei dando fim à proibição. Mas, até hoje o novo projeto não foi votado. Na última semana, quando finalmente parecia que o caso se resolveria, três parlamentares pediram vista, alegando necessidade de mais tempo para análise. Cada um vai ficar com o projeto por dez dias, antes dele voltar à pauta.

Justiça

O imbróglio é tanto que outras três farmácias tiveram que conseguir autorização na Justiça para funcionar 24 horas. Porém, a Associação Colatinense de Farmácias recorreu, e o STF derrubou a permissão, sob alegação de que não compete ao Judiciário, e sim ao Município, tratar do assunto. Uma dor de cabeça que aparenta ter como causa a reserva de mercado.

Absolvido

Em segundo julgamento, ocorrido na última quinta (6), o ex-prefeito de Santa Leopoldina, Idemar Entringer, foi absolvido da acusação de ter mandado matar seis pessoas de uma mesma família, numa chacina ocorrida em 2002. Ele já tinha sido absolvido no primeiro julgamento.

Preso

Já o vereador Robério Pinheiro (PSDB), que é ex-presidente da Câmara de Vereadores de Ecoporanga, foi preso na última semana, acusado de envolvimento em supostos crimes cometidos contra a administração pública. Ele foi alvo da 4ª fase da operação Varredura, batizada de Ecos do Inhambu.

Operação

Desde 2018, o Ministério Público Estadual (MPES) investiga possíveis crimes como fraudes em licitações, formação de quadrilha, peculato, corrupção ativa e passiva, entre outros. Nove municípios já ficaram na mira do MP até agora. Robério está no presídio de Linhares.

Foto da coluna: reprodução internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *