Disse me disse ideológico

Ameaça

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) causou rebuliço ao ameaçar retirar a equipe da Força Nacional de Segurança de Cariacica, por causa de uma suposta criação de um disque-denúncia por parte do prefeito Geraldo Luzia, o Juninho (CIDADANIA). Em rede social, Bolsonaro gravou vídeo no qual aventa a retirada, se o tal disque-denúncia vir a servir como instrumento de retaliação à ação – nem sempre amistosa – dos agentes da Força Nacional.

Mal entendido

Nesta sexta (4), Juninho e o subsecretário estadual de Segurança, Guilherme Pacífico, vieram a público dizer que houve um mal entendido quanto ao serviço disponibilizado. Trata-se, segundo eles, de um número de telefone já existente, o 162, que é da Ouvidoria de Cariacica. 

Repercussão

O conflito com o presidente foi a senha para que a oposição ao prefeito caísse matando nas redes sociais. A repercussão foi tanta que Juninho teve que gravar um vídeo desmentindo ter criado a ferramenta exclusivamente para denúncias contra possíveis abusos por parte da Força.

Pano de fundo

Durante a crítica, Bolsonaro fez questão de frisar que Juninho “é do PPS, o antigo PCB” – referindo-se à origem comunista do atual CIDADANIA. No país do disse me disse ideológico, esse é só mais um tempero na fervura do cabo de guerra entre esquerda e direita, que, pelo visto, ainda vai longe.

Prisão

O comando da PM homologou nesta sexta (4) a prisão administrativa do ex-presidente da Associação de Cabos e Soldados do ES, sargento Renato Martins Conceição. O motivo? Duas matérias jornalísticas publicadas no site da entidade, em janeiro de 2018, consideradas ofensivas ao ex-governador Paulo Hartung (sem partido) e ao ex-secretário estadual de Segurança Pública, coronel Nilton Rodrigues.

Prisão II

O sargento já está preso no 4º Batalhão do Ibes, em Vila Velha, cumprindo a punição disciplinar, que vai até o próximo dia 15. A defesa dele já entrou com recurso. E a Associação também vai agir para reverter a condenação.

Sanção

O governador Renato Casagrande (PSB) sancionou nesta sexta (4) a lei que prorroga a isenção do ICMS para taxistas. A lei trata ainda da isenção do ICMS para medicamentos contra HIV e câncer, e da compra de veículos adaptados para pessoas com deficiência. Também reduz a base de cálculo do imposto para insumos agropecuários.

Foto da coluna: Reprodução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *