Candidatura de Márcio Greik, na Serra, é impugnada

A Justiça determinou a impugnação da candidatura de Márcio Greik (MDB) à Prefeitura da Serra. A decisão foi publicada nesta segunda-feira pela juíza eleitoral Gladys Henriques Pinheiro, do município. Ela entendeu que, na ata de convenção apresentada pelo partido, o candidato não fora escolhido para concorrer à eleição majoritária e ainda não registrou sua disponibilidade como pré-candidato ao cargo majoritário. 

 A juíza considera ainda a ata complementar em que fica decidido pela Comissão Executiva Municipal do Movimento Democrático Brasileiro, em reunião realizada no dia 16 de setembro, que o partido na Serra não lançaria candidaturas próprias aos cargos majoritários, com o objetivo de fortalecer as candidaturas proporcionais, integrando a coligação majoritária junto aos partidos PSDB, PMB, PROS, DC e PRTB. É a coligação denominada “Aliança pela Serra”. 

 A juíza ainda considerou que o partido apresentou Demonstrativo de Regularidade dos Atos Partidários sem candidatura aos cargos de prefeito e vice-Prefeito, em consonância com o deliberado pelo partido. 

O MDB do Estado vive uma batalha interna pelo controle da legenda. As eleições do diretório estadual chegaram a ser suspensas e uma comissão interventora foi composta para que as decisões pudessem ser tomadas no partido. Em meio à disputa estão os grupos do ex-deputado Marcelino Fraga e do ex-deputado e ex-vice-governador Lelo Coimbra. Enquanto o grupo de Lelo preferiu compor com a chapa de Vandinho Leite (PSDB) na Serra, o grupo dissidente achou melhor lançar candidato próprio.  

Com a decisão da juíza Gladys Henriques Pinheiro, a candidatura de Márcio Greik está impugnada e não deve nem mesmo aparecer na urna eleitoral. Ainda cabe recurso da decisão. “Diante de todo o exposto, julgo TOTALMENTE PROCEDENTES as IMPUGNAÇÕES aos Registros de Candidatura Individual, requeridos por MÁRCIO GREIK ALVES DA SILVA e EDUARDO LIMA DA SILVA, aos que, por via de consequência, INDEFIRO”, escreveu a juíza. 

A magistrada acrescentou ainda que “o encaminhamento das cópias ao Ministério Público se dê, também, para apuração da notícia-crime eleitoral, trazida aos autos pelo candidato impugnado, Determino o encaminhamento de cópia do presente feito ao Ministério Público Eleitoral, para fins de apuração de eventuais condutas dolosas, atinentes a “indução ao erro” e “flagrante tentativa de fraude ao processo eleitoral”, inclusive quanto a violação do sigilo das mensagens telefônicas, nos moldes como pleiteados”. 

Outro lado 

O advogado do candidato Márcio Greik, Sebastião Pelaes, informou que vai entrar com o recurso o mais breve possível, e provavelmente ainda nesta terça-feira.  “Já estamos preparando um recurso e vamos mandar para o tribunal. Vão mandar apurar o telefonema em que o dirigente do partido combina o apoio a outra chapa, o que consideramos fraude. E quanto a isso, haverá investigação”, afirmou Pelaes.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *