Pazolini quer técnicos para lidar com pandemia e vai revisar contratos

“Não temos tempo a perder”. Com essa frase o prefeito eleito de Vitória, Lorenzo Pazolini (Republicanos) apontou a direção da transição que pretende fazer para assumir a prefeitura da capital do Estado, depois de vencer o adversário petista João Coser, no pleito de domingo (29). Pazolini afirmou que pretende dar prioridade a ações contra a pandemia do novo coronavírus e também quer criar um ambiente propício e assim atrair negócios para Vitória. 

“Primeiro, vou me cercar de uma equipe técnica com médicos e cientistas para saber quais as melhores ações de enfrentamento à pandemia. Quero ouvir o máximo de pessoas possível para tomar as melhores decisões. Serão nossas primeiras ações”, afirmou. 

O delegado também disse que espera criar um novo ciclo positivo na cidade. “Primeiro vamos criar o ambiente para atrair negócios, desburocratizar, para o investidor saber que Vitória quer recebê-lo. Isso é fundamental. Outro ponto é qualificar os trabalhadores. Para isso vamos buscar o apoio de Sesi, Senai e Findes, para que essas pessoas possam retornar ou entrar no mercado de trabalho. Eles serão fundamentais para isso, pois têm a experiência”, afirmou. 

O prefeito eleito afirmou que vai participar ativamente da transição. Disse que ainda não tem equipe definida, mas as conversas já começaram e até o final desta semana os nomes serão divulgados. “Vou participar da transição. Já tivemos uma reunião ontem, após a carreata da vitória, e sei que não temos tempo a perder. O prazo não é o adequado, mas é o que é possível em função das mudanças do calendário eleitoral por causa da pandemia. Vamos ter que construir”. 

Ele também adiantou que pretende avaliar contratos para fazer um diagnóstico seguro da situação da prefeitura. “Vamos avaliar os contratos existentes, questões que gerem despesas ao município. Por isso a importância de fazer esse diagnóstico. Certamente não teremos dificuldades em encontrar recursos em caixa para cumprir os compromissos da prefeitura. Mas, precisamos avançar em outras questões, como controle de gastos. Não podemos errar, e por isso vamos procurar a assessoria da Procuradoria do município e da Controladoria, formados por servidores efetivos que irão nos auxiliar”. 

Pazolini citou a conversa que teve com o prefeito Luciano Rezende (Cidadania) na manhã desta segunda (30). “Foi uma conversa ótima e ele se colocou à disposição. O nosso objetivo é atender ao cidadão da melhor forma possível”. O prefeito eleito também citou a conversa que teve com o adversário Coser, logo após a divulgação do resultado. “Fiz questão de ligar para o candidato, do meu telefone, conversei e tive um diálogo com ele. O calendário eleitoral se encerrou domingo. Se fecha um ciclo, importante para a história da cidade. Hoje de manhã iniciamos a transição. O debate da campanha foi importante para a cidade, mas acabou, não dá para sustentar mais isso. Precisamos cuidar das pessoas”. 

Sobre alianças e formação de equipe de governo, Pazolini ressaltou a disposição para o diálogo. “Com certeza quem estará comigo será a Capitã Estéfane (a vice da chapa). Vamos continuar ouvindo todos que se dispuserem a colaborar, que tiverem currículo e amarem a cidade de Vitória. Temos vontade de ouvir quem tem projetos e críticas também. Nosso governo será o que quer cuidar das pessoas, com educação, ruas calçadas, segurança, escola, saneamento. Nosso governo vai apresentar um novo projeto, garantindo os direitos individuais, garantindo o coletivo, num viés de diálogo. Por isso quero agradecer muito e reconhecer cada voto, cada cidadão que depositou a confiança. É um momento muito mais de reconhecimento ao cidadão. Na nossa visão, na democracia não há vencidos, há uma escolha do povo. Todos que participaram engrandeceram o debate. O processo termina sem vencidos”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *