• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Bate-boca entre Bolsonaro e estudante causa tumulto durante palestra em Vitória

Política

Bate-boca entre Bolsonaro e estudante causa tumulto durante palestra em Vitória

Os ânimos ficaram um pouco exaltados entre o deputado federal e um jovem estudante durante uma audiência pública realizada na manhã desta sexta

Bolsonaro perdeu a paciência com um estudante durante palestra em Vitória. Foto: Divulgação

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) bateu boca com um estudante na manhã desta sexta-feira (1º) durante uma audiência pública realizada no Clube dos Oficiais da Polícia Militar, em Vitória. No momento das perguntas ao parlamentar, o jovem questionou a ausência de negros no evento e se Bolsonaro não temia associar sua imagem com a Polícia Militar (PM), apontada como a responsável pela Chacina da Candelária, que ocorreu em 23 de julho de 1993 no Rio de Janeiro. Na ocasião, seis menores de idade, e dois maiores, foram assassinados.

Sobre a questão racial, o deputado respondeu que não havia nenhuma placa do lado de fora proibindo a entrada de negros. Já sobre a questão da Candelária, Bolsonaro disse que um dos sobreviventes da chacina foi o responsável pelo conhecido sequestro de um ônibus da linha 174 no Rio, em junho de 2000, e pelo assassinato de uma professora durante o crime. Sandro Barbosa do Nascimento, que executou o sequestro e matou a professora Geísa Firmo Gonçalves, terminou morto asfixiado pela PM dentro de uma viatura. 

Impaciente ao ser interrompido pelo adolescente, em um determinado momento o deputado mandou o garoto calar a boca, pois, ao seu ver, o jovem teve seu momento de perguntar e deveria ter a educação necessária para ouvir a resposta .

Confira o vídeo do bate boca

Bolsonaro, pré-candidato à presidência da República, teve um dia de agenda extensa em Vitória.  Pela manhã participou de um café com associações de cabos de soldados e bombeiros, entrevistas à imprensa e também da audiência pública, cujo principal tema foi a redemocratização.

À tarde foi realizado um evento do PSC, com dirigentes municipais, vereadores e demais filiados. O encontro foi realizado no auditório do Hotel Senac, na Ilha do Boi. "O encontro foi uma reafirmação dele de que a bancada federal do partido vota junta pelo afastamento da presidente Dilma. Temos dois membros na comissão do impeachment, Eduardo Bolsonaro (PSC/SP) e Marco Feliciano (PSC/SP), e ambos defendem essa ideia", afirmou o presidente estadual do PSC, Reginaldo Almeida.

Reginaldo enfatizou ainda que, em caso da comissão decidir pelo afastamento de Dilma Rousseff e o processo seguir para a Câmara dos Deputados, toda a bancada federal do partido, formada por 13 representantes, irá votar a favor da derrubada da presidente.

Ato em Camburi

O deputado federal desembarcou na capital capixaba na noite dessa quinta (31), onde foi recebido por uma multidão no aeroporto Eurico Salles. Por volta das 20 horas, participou de um ato na Praia de Camburi a favor do impeachment da presidente da República Dilma Rousseff (PT), ao lado do deputado federal Carlos Manato (SDD), que foi quem o convidou para vir ao Estado.

"Nós não concordamos com essa política do PT em que todo mundo é coitadinho, pobrezinho e que portanto tem direito a tudo. A gente não acha que é dessa forma. Há muito aparelhamento no Estado, com ONGs que dizem que fazem alguma coisa, mas não fazem nada", afirmou Manato.

Jair Bolsonaro e seu filho, o também deputado federal Eduardo Bolsonaro, retornaram para os seus estados de origem no fim da tarde desta sexta-feira (1º).