Após cassação de prefeito, eleitores voltam às urnas em Muqui no domingo

Política

Após cassação de prefeito, eleitores voltam às urnas em Muqui no domingo

Poderão votar eleitores inscritos até o dia 1º de fevereiro de 2017. No dia da votação, é necessário levar um documento oficial de identificação com foto

No dia da votação, é necessário levar um documento oficial de identificação com foto. Horário de votação é das 8 às 17h Foto: Divulgação

Os cerca de 10 mil eleitores da cidade de Muqui, no sul do Estado, retornam às urnas neste domingo para eleger um novo prefeito e vice-prefeito para a cidade.  

O município vai realizar eleições suplementares, pois o candidato vencedor do último pleito, em 2016, teve sua candidatura cassada pelo Tribunal Superior eleitoral. 

De acordo com o artigo 224, §3º da lei 13.165/2015, conhecida como "minirreforma eleitoral", o "indeferimento do registro de candidato eleito em pleito majoritário acarreta, após o trânsito em julgado, a realização de novas eleições, independentemente do número de votos anulados".

Poderão votar somente aqueles inscritos como eleitores no município até o dia 1º de fevereiro de 2017. No dia da votação, é necessário levar um documento oficial de identificação com foto. A Justiça Eleitoral recomenda que o eleitor leve também o título ou seu número para facilitar a identificação da seção eleitoral. O horário de votação é das 8 às 17h.

Seis candidatos disputam o cargo na prefeitura de Muqui. Confira:

- Carlos Elias Mendonça (Cacai) - PT - 13
- Helio Carlos Ribeiro Candido (Cacalo) - PSB 40
- Claudiomar Barbosa (Dr. Claudiomar) - PRP 44
- Wanisgton Roberto Ribeiro Bertoluso (Neston Ribeiro) - PEN 51
- Nicolau Esperidião Neto (Nicolau) - 12 PDT
- Carlos Renato Prúcoli (Renato Prúcoli) - 14 PTB