• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Avaliação do governo Dilma continua menor em SP, diz Datafolha

Política

Avaliação do governo Dilma continua menor em SP, diz Datafolha

A aprovação da gestão Dilma Rousseff tem as maiores taxas nos dois Estados do Nordeste pesquisados, Ceará e Pernambuco; respectivamente com 55% e 39%

Foto: Agência Brasil

São Paulo - A mais recente pesquisa do Datafolha sobre avaliação do governo Dilma Rousseff, realizada em oito estados na semana passada, mostra resultados distintos nos dois maiores colégios eleitorais do País, São Paulo e Minas Gerais. O resultado foi divulgado hoje no jornal Folha de S.Paulo.

Em São Paulo, o maior colégio eleitoral, com 22% do eleitorado, a aprovação à gestão Dilma continua menor do que a avaliação negativa. Os que consideram o governo ótimo/bom somam 24%, oscilação de um ponto porcentual em relação ao levantamento anterior (23%). Enquanto a reprovação ao seu governo está em 35%, uma melhora em relação aos 39% de reprovação de julho. A avaliação "regular" perfaz 39% das respostas. A margem de erro é de dois pontos porcentuais, para cima ou para baixo. Em São Paulo, a pesquisa ocorreu nos dias 12 e 13 de agosto, com 2.045 entrevistados (registro no TSE: SP-00016/2014).

No Estado do candidato rival Aécio Neves (PSDB), o governo Dilma é considerado ótimo/bom por 34% dos entrevistados, ao passo que 26% dizem que é ruim/péssimo. Os demais 38% consideram regular. Em Minas, a pesquisa ocorreu nos dias 12 a 14 de agosto, com 1238 entrevistados (registro no TSE: MG-00063/2014), com margem de erro de três pontos porcentuais.

Em Minas e outros seis Estados o Datafolha não apresenta comparação por ser a primeira vez este ano que faz esse tipo de pesquisa.

Já o Paraná é onde o eleitorado aparece mais dividido, com um terço (33%) considerando seu governo ruim/péssimo e 31% como ótimo ou bom. Como a margem de erro naquele Estado é de três pontos porcentuais, a pesquisa aponta um empate entre os que aprovam e os que reprovam. Regular é a avaliação de 36% dos paranaenses. A pesquisa ocorreu nos dias 12 e 13 de agosto, com 1.226 entrevistados (registro no TSE: PR-00014/2014).

No Rio de Janeiro, os índices são de 24% para ótimo/bom; 45% regular e 29% ruim/péssimo. Por ter margem de erro de três pontos porcentuais no Estado, não é possível concluir queda na reprovação, mas na pesquisa anterior o Datafolha mostrava 32% de ruim/péssimo no Rio. A pesquisa ocorreu nos dias 12 e 13 de agosto, com 1.317 entrevistados (registro no TSE: RJ-00010/2014).

A aprovação da gestão Dilma tem as maiores taxas nos dois Estados do Nordeste pesquisados, Ceará e Pernambuco; respectivamente com 55% e 39%. No Ceará foram 1.108 entrevistados, de 11 a 13 de agosto (TSE: CE-00013/2014).

No Rio Grande do Sul, também com margem de 3 pontos, o indicador de aprovação é de 38% (ótimo/bom); regular, 37%, enquanto 24% consideram ruim/péssimo. Foram 1.233 entrevistados, de 12 a 14 de agosto (TSE: RS-00009/2014).

O Distrito Federal apresenta a maior taxa de reprovação, 40%; os demais porcentuais são 23% de ótimo/bom e 36% regular, com margem de erro de quatro pontos porcentuais, para mais ou para menos. Nos dias 12 e 13 foram 736 entrevistados (TSE: DF-00029/2014).