• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Aprovada PEC que abre caminho para a reeleição de Ferraço na presidência da Ales

Política

Aprovada PEC que abre caminho para a reeleição de Ferraço na presidência da Ales

Medida garante ao deputado estadual Theodorico Ferraço a possibilidade de disputar o quarto mandato consecutivo à frente da Assembleia Legislativa

Ferraço pode ser beneficiado com a medida Foto: Divulgação/Assembleia

A Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) aprovou na tarde desta segunda-feira (17) a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) de Luiz Durão (PDT) que permite a recondução do presidente para um novo mandato dentro da mesma legislatura. Anteriormente, a Constituição estadual previa essa possibilidade apenas para a legislatura seguinte. 

Com isso, o deputado Theodorico Ferraço (PMDB) poderá disputar o quarto mandato consecutivo à frente da Casa, numa eleição prevista para acontecer no início de fevereiro de 2017.

Antes da votação da matéria, o líder do Governo na Ales, Gildevan Fernandes (PMDB), solicitou a suspensão da sessão por dez minutos para os parlamentares conversarem melhor sobre a proposição. Após o retorno dos trabalhos e a aprovação da PEC, os deputados começaram a justificar seus votos.

Sergio Majeski (PSDB), um dos votos contrários, disse que não tinha nada contra o atual presidente Theodorico Ferraço (DEM), mas que tinha como convicção de que umas melhores características da democracia é a alternância de poder. 

“Algumas pessoas justificaram [o voto a favor da PEC] pela grande eficiência do atual presidente, mas a alternância de poder é fundamental. Novas pessoas, nova ideias", argumentou. Outro que votou contra e se manifestou foi Guerino Zanon (PMDB), porém com justificativa diferente da de Majeski. 

Ele lembrou que não poderia falar contra a reeleição porque foi reeleito em 2000 prefeito de Linhares, cargo que vai ocupar pela quarta vez no ano que vem, mas que não acha correto ficar alterando a Constituição a todo momento “ao bel prazer”. “Ferraço é um grande presidente, homem público exemplar, mas o Regimento já foi alterado três vezes, não poderia concordar que ele fosse alterado de novo com meu voto”, pontuou.

Já o deputado Gilsinho Lopes (PR), que votou a favor, alegou que eles não estavam votando a reeleição do atual presidente, apenas a possibilidade de ele se habilitar novamente a disputar o cargo. “A gestão de Ferraço é séria, transparente, econômica e sem mácula alguma. Chegamos a devolver R$ 30 milhões para o Governo e isso tem que ser observado pelo Governo, pela sociedade e pelos que estão divergindo, e nós aceitamos a divergência”, afirmou.