• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Nova sessão é marcada por quebra-quebra e impasse continua na Câmara da Serra

  • COMPARTILHE
Política

Nova sessão é marcada por quebra-quebra e impasse continua na Câmara da Serra

O pleito, que atualmente causa racha dentro do Legislativo, aconteceu em junho deste ano, e elegeu Neidia Pimentel (SDD) como nova presidente da Câmara

Manifestantes se reuniram para acompanhar sessão Foto: Reprodução

Novo tumulto tomou conta da sessão na Câmara Municipal da Serra. Logo no início da manhã, desta quinta-feira (18), um grupo de manifestantes se reuniu na porta da Casa para acompanhar uma sessão extraordinária, que aconteceu por volta das 9 horas da manhã. 

A nova sessão foi marcada devido ao impasse de quarta-feira (17), quando o vereador Aldair Xavier (PTB), revoltado com o fato de colegas tentarem anular a eleição da nova Mesa Diretora, tirou parte do terno ficando apenas com a calça.

O pleito, que atualmente causa racha dentro do Legislativo, aconteceu em junho deste ano, e elegeu Neidia Pimentel (SDD) como nova presidente da Câmara. De um lado, um grupo de vereadores concorda com a decisão da eleição de junho. Outra parte dos parlamentares pede uma nova eleição para o dia 31 de dezembro, às 10 horas. 

Na sessão desta quinta-feira (18), os parlamentares voltaram a se manifestar e houve quebra-quebra. No plenário, muitos vereadores usaram vendas, subiram em mesas e quebraram microfones. Revoltada, a população que acompanhou toda a votação, cobrou explicações dos políticos e tentou entrar no local. Policiais militares precisaram intervir. Mesmo com o caos instaurado, a votação continuou.

Com duração de 40 minutos, os vereadores presentes votaram a favor de uma nova eleição para a Mesa Diretora. A decisão causou uma nova polêmica entre os envolvidos. De acordo com o atual presidente da Câmara, vereador Guto Lorenzoni, o parecer da sessão realizada da última quarta-feira (17), que marca uma nova eleição para o dia 31 de dezembro, é válido.

Entretanto, a vereadora Neidia discorda da ação. Segundo ela, para ser considerada válida, a sessão extraordinária precisa preencher critérios internos, entre eles, o pedido de sessão extraordinário realizado com 24 horas de antecedência, presença de taquígrafo e que os parlamentares estejam com vestimentas adequadas, o que, de acordo com ela, não foi respeitado.

Com a quebradeira dos últimos dias, quem tentou acompanhar as sessões pela internet enfrentou dificuldades. No tumulto de quarta-feira, as câmeras que fazem a transmissão das sessões foram danificadas, o que impossibilitou a conectividade na manhã desta quinta-feira (18)

Veja o vídeo da confusão desta quinta-feira