• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Sem Audifax, candidatos da Serra focam em propostas de Governo em debate no Folha Vitória

Política

Sem Audifax, candidatos da Serra focam em propostas de Governo em debate no Folha Vitória

O candidato da REDE, Audifax Barcelos, não participou do debate, pois, segundo ele, não obteve autorização médica para comparecer ao evento promovido pelo Folha Vitória

Participaram do debate Gideão Svensson, Sergio Vidigal e Givaldo Vieira Foto: Folha Vitória

Weverton Campos (Redação Folha Vitória)

Os três candidatos a prefeito da Serra que compareceram ao debate promovido pelo Folha Vitória, Gideão Svensson (PR), Givaldo Vieira (PT) e Sergio Vidigal (PDT) fizeram um debate basicamente propositivo. Todos preferiram focar em seus planos de governo e não trocaram ataques, com a exceção de algumas alfinetadas de Givaldo e Gideão à polarização formada por Vidigal e Audifax Barcelos (REDE) ao longo dos últimos 20 anos. 

Perdeu o debate? Assista aqui.

O candidato da REDE não participou, pois, segundo ele, não obteve autorização médica para comparecer ao evento. A REDE também não mandou a candidata a vice de Audifax, Márcia Lamas (PSB), para representá-lo. 

Conforme o padrão, o debate foi dividido em dois blocos, com perguntas entre os candidatos, dos leitores do Folha Vitória e também de jornalistas da Rede Vitória. A crise hídrica que assola o Espírito Santo há quase três anos não passou batido. Questionado por Sergio Vidigal sobre o que pretende fazer para contê-la, Gideão prometeu cuidar dos mananciais, por meio da despoluição das lagoas, dos rios e promover reflorestamento.

Leitores aprovam debate promovido pelo Folha Vitória 

Gideão não deixou de citar a recente tentativa do setor imobiliário de lotear uma área preservada de alagamento do Meste Álvaro e de criticar Audifax e Vidigal. "Nenhuma política pública em 20 anos foi feita para despoluir os mananciais", disse. Questionado sobre a saúde financeira da Serra por Gideão, Givaldo Vieira afirmou que é preciso gastar na "direção correta". "É preciso aplicar naquilo que faz a população sofrer hoje", afirmou o petista, que também disparou contra a polarização. "Nesses 20 anos dois grupos políticos lutam pelo poder, e aí cargos comissionados são criados aos montes", ironizou.

Em propostas para a juventude, que sofre com a criminalidade, Givaldo e Vidigal debateram sobre inserir os jovens na cultura local e também falaram de criar espaços para que os jovens possam expressar sua criatividade. Em educação, Vidigal disse que o número de alunos matriculados na rede de ensino municipal é o mesmo desde quando deixou a prefeitura, em 2012. O candidato do PDT disse que é preciso ampliar essas vagas, investir na qualificação dos professores, na estruturação das escolas e criar atrativos para as salas de aula.

Como resposta, Gideão Svensson afirmou que na Serra faltam profissionais de Educação. Segundo o candidato do PR, a cidade carece de auxiliares de secretarias, que não foram chamados mesmo o município tendo feito concurso público para o cargo, professores que lidam com alunos portadores de necessidades especiais, intérpretes de libras e bibliotecários. Vidigal concordou e disse que a Serra precisa "superar essa triste imagem". 

Na saúde, Givaldo Viera relatou que já colocou R$ 2 milhões à disposição da Prefeitura da Serra para informatizar o sistema de agendamento das filas, para que os munícipes deixem de ter de esperar em longas filas para marcar consultas e exames. Vidigal, por sua vez, afirmou que começou a informatizar os sistemas das unidades de saúde, mas como perdeu a eleição de 2012 isso não foi continuado. Também citou a criação da primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Estado e o início das obras da terceira UPA. 

Por fim, Givaldo defendeu integração dos meios de transporte na cidade, como por exemplo entre redes de ciclovias e o sistema Transcol, e defendeu a abertura de turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJAs) integradas com formação profissional e a oferta de cursos técnicos nas comunidades. Gideão, em mobilidade, disse que a cidade precisa crescer de forma sustentável e não de forma desorganizada, como nos últimos 20 anos. 

Voltando à segurança pública, Sergio Vidigal disse que é totalmente favorável à criação da guarda municipal na Serra e que é necessário retomar o projeto patrulha escolar. "A serra hoje tem 170 câmeras e 63 não funcionam. Precisamos botar o videomonitoramento em todos os equipamentos públicos da cidade", afirmou. O candidato do PDT também prometeu  retomar a vigilância de órgãos públicos, que atualmente sofrem com furtos. "Precisamos retomar toda essa vigilância e integrar o videomonitoramento aos equipamentos públicos".

Ao final do debate, Vidigal parabenizou a qualidade do evento e das propostas. "Os candidatos se respeitaram e se preocuparam exclusivamente em fazer seu foco às demandas da cidade", disse. "Eu a cada dia me sinto mais preparado para que a gente possa enfrentar esses novos desafios que a cidade tem que superar", declarou.

Gideão Svensson afirmou que o debate foi uma grande oportunidade para a Serra. "Há mais de 20 anos no nosso município só duas pessoas alternam o poder. Os dois foram importantes, mas para a democracia a mudança é necessária". Givaldo disse que foi positivo mostrar propostas e fazer questionamentos. "Saio bastante motivado. Minha expectativa é fazer com que a população compreenda que é hora de mudar". O petista ainda se colocou como opção de romper com a "mesmice" de duas décadas.

Próximo debate

Nesta quarta-feira (21) será a vez dos candidatos de Cariacica, Marcelo Santos (PMDB), Adilson Avelina (PSB), Juninho (PPS) e Marcos Bruno (REDE), debaterem na Rede Vitória. O evento será transmitido ao vivo, a partir das 21 horas, no Folha Vitória e também no facebook do jornal online.