A leitura como remédio da alma

O texto de hoje é inspirado na experiência pessoal que vivo. Sempre fui estimulada à leitura pela minha mãe desde criança. Ela, professora de Português e Literatura, tinha vários livros em casa e constantemente estava imersa em alguma obra. E assim, observando-a e incentivada por ela, fui seguindo os seus passos. A leitura e o universo das letras e da escrita eram tão próximos a mim e me encantavam tanto que me tornei jornalista e no início desse mês lancei um livro – uma biografia sobre o meu avô e pianista capixaba intitulada “O piano e seu conjunto: vida e obra de Hélio Mendes”.

A experiência da leitura constante, não importa o gênero literário, nos permite ampliar as perspectivas da realidade. Ela é um refúgio para um mundo tão violento e tempos tão difíceis. Por meio dos livros, você viaja na história, imagina, cria, se identifica e revive memórias afetivas. Esse simples ato de se debruçar sob uma obra literária te leva a descobertas maravilhosas que muitas vezes estão adormecidas, abafadas pelos problemas do dia a dia, das crises política e econômica do país, do medo e insegurança que nos acometem.

Para o historiador e professor universitário Dante Gallian, que pesquisa há quase 20 anos o impacto da leitura nas pessoas, a prevenção para os males do corpo e padecimento da alma está na leitura de grandes clássicos. Ele destaca também que a leitura em grupo, por exemplo, “é benéfica porque deixa de ser solitária e favorece os vínculos e a necessidade de estar junto, tornando-se um poder terapêutico enorme”.

Quando estava no processo de escrita do meu livro, também viajei nos relatos e histórias das pessoas entrevistadas. E ao lançá-lo, constatei que o público leitor teve as mesmas sensações. Quem viveu a época retratada no livro fez uma viagem no tempo, resgatou lembranças, pessoas, cheiros e sons. Para quem conheceu a partir da biografia, imaginou e recriou o cenário e o contexto. Independente das gerações que tiveram a oportunidade de ler a história do pianista capixaba todos foram impactados e suas “almas” ficaram mais leves e suaves.

Por isso, quando se sentir apreensivo, ansioso, triste ou qualquer outro tipo de sentimento que te inquiete, e pensamentos negativos surgirem, busque a leitura. Ela será um ótimo remédio para a sua alma.

Alguns clássicos da literatura que merecem ser lidos

A lista abaixo foi elaborada pelo historiador Dante Gallian

Dom Quixote de La Mancha – Miguel de Cervantes

Grande Sertão Veredas – Guimarães Rosa

Os irmãos Karamazov – Fiódor Dostoiévski

Hamlet – William Shakespeare

A Divina Comédia – Dante Alighieri

A Odisséia Homero

A lista elaborada pela autora do blog Cínthia Ferreira

Dom Casmurro – Machado de Assis

O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint-Exupéry

O Cortiço Aluízio Azevedo

Vidas Secas – Graciliano Ramos

1984 George Orwell

Cem anos de solidão – Gabriel García Márquez

O diário de Anne Frank – Anne Frank

Fonte: Revista Vida Simples, fevereiro 2017, ed.180.

2 Replies to “A leitura como remédio da alma

  1. Querida Cínthia você está corretíssima. A leitura nos transforma, ressignificamos a nós mesmos e as situações com as quais nos deparamos momento a momento. Infelizmente a leitura hoje compete com as tecnologias. Fico apreensivo com nossa juventude que prefere as tecnologias em detrimento de uma boa leitura. Mas já temos os hiperlivros, os livros falados que vem tapando uma lacuna necessária, que não atinge o objetivo no todo, mas ainda é uma forma de viver a leitura “remodelada”. Parabéns pela reflexão. Sincero abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *