Omni Skill – Estamos diante de uma nova habilidade?

Durante muitos anos ouvimos falar sobre “HardSkills” e “Softskills” , ou seja competências de ordem técnica e competências de ordem comportamental.
Mas sabemos que o novo mundo exige novas habilidades!

Qual seria então a habilidade deste novo momento? A palavra omini do latim  “todos, tudo, de todos os tipos”, poderia ser considerada como um novo conjunto de habilidades para um novo momento do mundo. Onde estamos todos conectados ao mesmo tempo.

OminiSkill seria então a nossa capacidade de se fazer presente e conectado em vários lugares ao mesmo tempo.
Isso se dá com o uso das plataformas tecnológicas, mas essa habilidade de estar presente no mundo digital, impacta diretamente no mundo “analógico” e amplia o desafio dos profissionais e das organizações.

O profissional que antes precisava se posicionar dentro de uma organização, no melhor modelo “quem não é visto não é lembrado” agora precisa investir parte do seu tempo para alimentar as redes sociais, e o que antes parecia ser apenas vaidade, tem se tornado uma habilidade necessária para ser visto como atrativo para o mercado.
Essa vantagem competitiva através da exposição de seus atributos profissionais aumenta a sua percepção de valor ao mesmo tempo que amplia o desafio do RH dentro e fora da organização.

Dentro, como manter o colaborador envolvido e engajado, quando o mesmo é visto e assediado diariamente pelos demais players de mercado?
Ao mesmo tempo, como realizar uma boa seleção de pessoas sem cair na armadilha de comprar “gato por lebre”?

Para quem está dentro de uma organização e quer usar de suas omniskills, é investir no uso das plataformas, participação das redes internas sociais e interações nos grupos. Sim, algumas empresas consideram que isso demonstra o nível de engajamento dos colaboradores. Principalmente organizações que se utilizam do modelo híbrido ou home office full.

Os jovens na grande maioria nativos digitais, se integram mais facilmente a essa  nova habilidade demandada. Os mais antigos se questionam a real necessidade, mas é fato, dependendo do cargo o seu número de seguidores pode sim ser um potencializador ou decisor no seu processo de seleção.

Manter redes atualizadas, gerar algum tipo de conteúdo, e-learning…São habilidades dentro dessa nova competência.
As empresas percebendo isso investem cada vez mais em ferramentas que favoreçam a conexão para que possamos nos sentir próximos mesmo que geograficamente distantes.
Até porque toda conexão ON traz consigo uma ansiedade constante, afinal ser onipresente poder ser desgastante para o colaborador que recebe e responde mensagens em qualquer lugar a qualquer hora.

Esse é um ganho do novo mundo, afinal quem nunca ouviu e se imaginou tendo a praia como um escritório?

Para isso é importante o equilíbrio para se conectar on-line, se manter off line em alguns momentos.

Você consegue fazer isso facilmente?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *