Planejamento Estratégico – As melhores definições, a melhor receita

A palavra “Estratégia” vem do grego “Strategos” que significa “general”, ou seja, está vinculada ao que muitos historiadores e pesquisadores definiram como sendo uma tecnologia de combate na guerra. Nos tempos modernos as estratégias empresariais estão ligadas aos objetivos fundamentais da organização para enfrentar a guerra comercial, de sobrevivência, de crescimento ou de lideranças organizacionais.

“ESTRATÉGIA – É um processo para a descoberta e percepção das oportunidades futuras, a habilidade para energizar a organização e a capacidade de superar os concorrentes, sem correr grandes riscos.” – Hammel e Prahalad.

“O Planejamento Estratégico compreende a análise racional das oportunidades oferecidas pelo meio, dos pontos fortes e fracos das empresas e da escolha de um modo de compatibilizar a estratégica entre dois extremos, para que se possa satisfazer do melhor modo possível os objetivos da empresa.” – Ansoff e Declerk.

“É a determinação de metas e objetivos de longo prazo de uma empresa, e a adoção das linhas de ação e aplicação dos recursos necessários para alcançar essas metas.” – Alfred Chandler.

“Numa corporação, o Planejamento Estratégico define o percurso dos negócios da organização, preconiza o tipo de arranjo econômico e humano necessário, e a natureza das contribuições não-econômicas pretendidas para os seus proprietários e demais grupos de interesse. Define, também, os negócios com os quais a companhia irá rivalizar, preferentemente na direção que focalize os recursos para conduzir competências distintas nas vantagens competitivas.” – Hax e Majluf.

A Receita e o Tratamento – conduzindo um Planejamento Estratégico na organização.

Aprenda a aplicar as metodologias (composta por diversas etapas) para a implementação do Planejamento Estratégico. Apesar de serem inúmeras, existem pontos comuns em quase todas elas. Simplificadamente as metodologias devem responder às seguintes perguntas:

Onde estivemos? Onde estamos? Onde queremos chegar? Quais são nossos pontos fortes e nossos pontos fracos? Quais são as oportunidades e ameaças do ambiente externo? Quais são os nossos indicadores que vão orientar a definição das diretrizes estratégicas? Quais são os valores que devemos preservar e aprimorar? Que nível de competitividade pretendemos alcançar?

É preciso “planejar o planejamento estratégico”. O desenvolvimento dos trabalhos na prática dependerá da disciplina e do tempo utilizados, devendo-se evitar que outros interesses e preocupações diárias interfiram no processo, competindo pela atenção dos gerentes e executivos.

É de suma importância familiarizar-se com os conceitos em torno do PE. Faça cartilhas, cartazes, informativos internos – físicos e eletrônicos, exercícios, etc., pois, assim, irá permitir a evolução e o aprofundamento progressivo do uso das metodologias que poderão ser buscadas de acordo com o interesse e conveniência das organizações.

Neste conjunto de sugestões (receitas) destacamos a importância da DISCIPLINA e CONTROLE, ou seja, de nada adianta definir e estudar o Planejamento Estratégico se não há AÇÃO e controle das atividades e projetos.

(1562Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>