DIA DO ENGENHEIRO – 11 DE DEZEMBRO – Os desafios da profissão

O Dia do Engenheiro é comemorado anualmente em 11 de dezembro, no Brasil.

A data homenageia os profissionais responsáveis em desenhar, projetar e concretizar ideias que se transformam em produto. Sejam residências, sistemas industriais, agronegócio  ou prédios comerciais, o engenheiro é um dos principais responsáveis pela segurança  e eficácia da construção dentro da sua complexidade e utilidade para a sociedade.

Origem do Dia do Engenheiro

O Dia do Engenheiro surgiu a partir do Decreto de Lei nº 23.569 (Getulio Vargas), de 11 de dezembro de 1933, que regulamenta e oficializa as profissões de Engenheiro, Arquiteto e Agrimensor no Brasil. Fonte: Calendarr Brasil.

GAF_2017.12.10_19h55m13s_002_

Na nossa homenagem ao Dia do Engenheiro introduzimos no texto a figura do PDCA: Como muitos sabem, a origem do PDCA se deu a partir do ciclo de Shewhart, engenheiro norte americano e que foi o introdutor do controle estatístico para o controle da qualidade. Mas os fragmentos que lhe deram origem se desenvolveram ao longo de, pelo menos, 300 anos de pensamento filosófico.

O PDCA resume, como método, a essência do trabalho de engenharia focada na sociedade (mercado, cliente, usuário) e suas fases subsequentes de Execução, Controle, Domínio sobre processos e Melhorias contínuas via Kaizen e Inovação.

Sobrevivendo em tempos de crise – uma abordagem sobre os desafios dos engenheiros.  (Douglas Soares).

Não é novidade que muitos engenheiros estão desempregados e os estudantes de engenharia estão enfrentando dificuldades para conseguir um estágio obrigatório para a conclusão do curso. As empresas procuram contratar um estudante com experiência profissional na área, mas como adquirir essa experiência antecipada, se o objetivo do estágio é justamente proporcionar aos futuros engenheiros o conhecimento e a técnica que as organizações exigem?

Se isso já é motivo de insônia e grande dor de cabeça para os estudantes e recém-formados, imagine para engenheiros que há anos exercem as mesmas atividades em grandes organizações e, de repente, se veem fora do mercado de trabalho dispondo apenas do conhecimento que adquiriram nos anos dedicados ao trabalho? .

É admirável o esforço de alguns estudantes que acordam cedo o dia todo, vão direto para a faculdade e, quando chegam às suas respectivas casas, ainda conseguem se dedicar aos estudos, debruçados em livros ou estudando por meio de pesquisas ou cursos online. Geralmente, esses trabalhadores/estudantes, estão com o corpo e a mente focados em atingir os seus objetivos e não têm muito tempo para reclamarem da vida ou ouvirem as palavras negativas que ecoam por todos os lados: no ambiente de trabalho, acadêmico e até mesmo em casa. No final, o importante é saber que, por pior que sejam os problemas, não devemos procurar somente os defeitos. Como diria Henry Ford: não encontre defeitos, encontre soluções. Qualquer um sabe queixar-se.

A melhor forma de superar esta realidade e fazer deste momento de crise uma oportunidade, é se acomodar menos, reclamar menos e exercitar a criatividade cada vez mais.

Às vezes, tentar novas fontes de renda, mesmo que de forma temporária, onde seja possível exercitar qualidades importantes para a formação de um bom engenheiro, mas que não são ensinadas em sala de aula, se faz necessário. Mas o mais importante é não se acomodar ao ócio e sim fazer dele uma maneira de rever o mundo e deixar ideias fluírem e, quem sabe, encontrar uma maneira inovadora de viver a engenharia e viver da engenharia. O que não vale é ficar parado, pois o que move a economia de um país é o trabalho das pessoas e o que move as pessoas são os seus sonhos. Acredite nos seus e lute, com criatividade e perseverança, para realizá-los! Força, engenheiro!

Texto de  Douglas Pinho Soares (Blog da Engenharia) que serve para um posicionamento realista sobre a profissão do engenheiro no nosso país.

Projeto CT UFES – Departamento de Engenharia da Produção

GAF_2017.12.10_20h04m07s_004_

Projeto fantástico coordenado pelo Chefe do Departamento de Engenharia da Produção, Prof. Herbert Carneiro que proporciona aos alunos dos últimos anos das engenharias da UFES a oportunidade de debater com empresas através dos seus executivos e especialistas a importância da engenharia na gestão e competitividade das referidas empresas e também a busca de novas oportunidades através do empreendedorismo.

Neste ano passaram pelo projeto consultores e executivos vindos do Setor Siderúrgico (Siderúrgica de Pecem e ArcelorMittal), Instituto Futura, AMBEV, Frioar, Tecvix, Sindifer, Consulpavi, Mogai Tecnologia, HKM, VALE, WEG Linhares, entre outras organizações de destaque na economia capixaba. A última etapa ocorre nesta segunda feira com presença da VALE e também da FINDES – SENAI debatendo as questões do Kaizen e Inovação.

O DIA DO ENGENHEIRO não termina por aqui e nem temos a pretensão de esgotar o assunto pois ainda há um conjunto de outros fatores igualmente importantes tais como: tecnologia e inovação (estamos nos últimos lugares do ranking) e o mesmo se aplica ao ranking de Competitividade CNI que anualmente nos mostra em penúltimo lugar de 15 países selecionados, nossa fraca posição no ranking da Produtividade do Trabalho que tem grande sinergia com os sistemas e engenharia nas empresas, enfim, devemos continuar nossa jornada e produzir uma engenharia de primeiro mundo com engenheiros altamente qualificados e felizes com sua profissão. Vamos em frente!

(1624Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *