O valor da água

22 de março. Uma data, uma convicção! O Dia Mundial da Água deve trazer à tona o debate sobre quais estratégias estão sendo formatadas para que programas hídricos inspirados no meio ambiente possam beneficiar a quem tem direitos, deveres e responsabilidades com este valoroso recurso natural.

Este ano, a campanha “A resposta está na natureza”, da Organização das Nações Unidas, abordará como a preservação e a restauração ambiental podem proteger o ciclo da água e melhorar a qualidade de vida da população.

No Espírito Santo, a nossa resposta está no maior programa ambiental da história do Estado, que abrange ações nas áreas de recursos hídricos e gestão de desastres; eficiência dos serviços e ampliação da cobertura de esgotamento sanitário e gestão de mananciais e da cobertura florestal.

O programa vai sanear as cabeceiras dos rios de municípios da Região do Caparaó, da Região Serrana e da Metropolitana, das bacias dos Rios Itapemirim, Itabapoana, Santa Maria do Doce, Santa Maria da Vitória e Jucu. O objetivo é tratar o esgoto nos mananciais, devolvendo ao meio ambiente o recurso hídrico retirado com melhor qualidade, garantindo que rios e lagos fiquem limpos.

No outro extremo do ciclo de atendimento, é um direito abrir as torneiras e nos depararmos com água potável, pronta para o consumo. É um dever reconhecer que até chegar em nossas casas, ela percorre um grande caminho, pois muitas vezes é captada em rios que ficam bem distantes dos centros urbanos. Também é um dever ligar os imóveis às redes prontas para coletar o esgoto, que é levado de forma hermética até as estações de tratamento. E é uma responsabilidade e um desafio atuar na área de saneamento e promover bem-estar social, econômico e até turístico.  Por que? Porque para dar respostas concretas e buscar a universalização é necessário ter visão empreendedora, captar recursos, fazer investimentos em infraestrutura e gerar empregos. É um ciclo de vida e de trabalho que orgulha quem projeta um futuro melhor para a população.

Também motivo de orgulho é a Cesan estar em primeiro lugar em investimentos por domicílio entre as 25 Companhias estaduais, segundo um estudo da GO Associados para a AESBE (Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento). Em média, o setor aplica em cada imóvel R$ 155, mas a Companhia investiu R$ 311, no período de 2004 a 2015. São investimentos para a preservação do meio ambiente e ampliação e melhoria do abastecimento de água e coleta e tratamento de esgoto.

As responsabilidades devem ser compartilhadas para, juntos, se enfrentar os desafios e impulsionar o saneamento, principalmente com a preservação dos mananciais. A valorização da água dialoga integralmente com o desenvolvimento sustentável, importante para todas as partes envolvidas. Essencial como o bem primordial a todos: a água.

Pablo Ferraço Andreão é Presidente da Cesan

(138Publicações)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será divulgado. Campos obrigatórios estão marcados com *