Tartaruga é encontrada morta após ingerir mais de 100 fragmentos de lixo em Vitória

Veterinário alerta que o lixo não precisa ser jogado diretamente no mar para que as tartarugas sejam prejudicadas. Quando o bicho ingere o lixo tem morte lenta e dolorosa

 Versão para impressão  

Foto: Divulgação

Todos os meses o Centro de Reabilitação de Animais Marinhos recebe tartarugas marinhas mortas por ingerir lixo. O último animal foi recebido neste domingo (15). Dentro do estômago da tartaruga da espécie Chelonia mydas foram encontrados mais de 100 fragmentos de lixo.

De acordo com o médico veterinário do centro, Luiz Felipe Mayorga, foram identificados dentro da tartaruga balões infláveis de festa, nylon, bitucas de cigarros, tampinhas de garrafas, canudos e sacolas plásticas diversas.

“Infelizmente essa realidade é bastante comum e todos os meses recebemos animais mortos por ingerirem lixo. Nesta tartaruga tinham mais de cem fragmentos de lixo plástico. O pouco que a tartaruga ingere já é o suficiente para ela morrer devido ao seu tamanho pequeno. O lixo obstrui o intestino dela”, disse. 

Luiz Felipe explicou que ela ficou impossibilitada de realizar todo o ciclo de digestão e definhou por ficar dias sem comer e emagreceu até parar de nadar.

O veterinário acredita que se as pessoas fossem educadas ao descartarem o lixo que produzem, a vida das tartarugas não estaria correndo risco. 
“O lixo não precisa ser jogado na praia, no mar ou em um calçadão na orla para causar essa história trágica. Lixo jogado nos valões ou nas ruas acabam sendo levados pelas chuvas até cursos d'água e finalmente ao mar, onde as tartarugas acabam ingerindo”, disse. 

Dejetos encontrados no estômago da tartaruga
Foto: Divulgação

TAGs

  • morte
  • mar
  • lixo
  • reabilitação
  • dor
  • nadar
  • plástico
  • balões
  • tartaruga marinha
  • bituca
  • digestão
 Versão para impressão  

MAIS LIDAS

Jornal Folha Vitória
Todos os direitos reservados © 2007-2016