1826 – Estratégia Para a Qualidade Total – Desafiando o tempo

34 anos se passaram desde que tivemos a oportunidade de escrever o primeiro livro da nossa experiência no programa de Qualidade Total na CST em parceria com o amigo e professor Victor Mirshawka, diretor da Fundação Armando Alvares Penteado FAAP de São Paulo.

As lembranças deste feito surgem de forma clara e bem definidas  demonstrando emoções profundamente positivas naquele momento.

Publicado pela Livraria Nobel S.A. esta obra foi prefaciada pelo então presidente da Cia Siderúrgica de Tubarão – CST, Dr. Arthur Carlos Gerhardt e pelo Superintendente Geral de Engenharia Industrial, Eng. Jackson Chiabi Duarte. Tivemos também outras participações honrosas através do Presidente da Findes, Elcio Resende Dias, do presidente da ABCQ, Masao Ito, do Coordenador Geral do CCQ da Volkswagen do Brasil, Serge Diechtiareff e também de Francisco de Paula Lima Filho, professor da ESPM entre vários outros colaboradores e batalhadores da causa da Qualidade no Brasil.

Agora o fato interessante: Folheando o livro podemos notar que sua base continua válida e atual para a realidade de hoje, ou seja, a tecnologia mudou tudo e de forma rápida, mas a base conceitual e gestão das pessoas permanecem inalteradas e firmes. Repetindo a frase de Tom Peters, “tudo vem das pessoas”, e continua sendo assim.

A influência previsível do sistema de gestão no estilo japonês, como o Prof. Falconi gosta de se referir, é parte consolidada em toda a obra e isto se tornou realidade a partir da mentoria do Eng. Fumio Mashiyma, nosso professor em tempo integral, destacado pela Kawasaki Steel Co. para o planejamento do TQC, execução, acompanhamento e introdução de melhorias no puro estilo Kaizen. Ele foi o nosso grande homenageado nesta obra.

Em 1987 já havíamos feito estágio na KSC – Japão, em especial nas cidades de Chiba, Mizushima e também na capital Tokyo. Esta experiência foi decisiva na preparação gerencial e ativação dos conhecimentos necessários para a difusão dos treinamentos na metodologia e ferramentas da qualidade, formando centenas de grupos na modalidade dos Círculos de Controle da Qualidade – CCQ’s (Supervisores e pessoal da linha de frente) e dos grupos Zero Defeitos (Gerentes e especialistas). Tal experiência nos animou a realizar este desafio do livro.

Em 5 anos de atividades do TQC-CCQ/ZD a economia gerada já chegava próximo de US$ 100 milhões, o que nos levou de volta ao Japão para uma palestra no congresso internacional de Thinking Groups da KSC na cidade de Kobe para uma prazeirosa prestação de contas, levando junto um CCQ campeão do ano de referência para apresentação seu trabalho técnico.

Essa é uma grata memória representada por este livro simples, mas cheio de coração e saudades.

Obrigado Prof. Victor e Mashiyama, sem deixar de lembrar da nossa valente equipe da IEQ/CST – José Marcos, Suzana, Cleomar, Péricles, Marins, Vera e amigos próximos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *