Como a inteligência artificial impacta a vida do corretor de imóveis e o que vai mudar no mercado 4.0

O uso da inteligência artificial no mercado imobiliário intensifica resultados positivos, gerando lucros, em qualquer fase do negócio – desde o início da jornada de compra do cliente até o pós-venda. Hoje vamos falar sobre os impactos na vida do corretor.

Aplicações de inteligência artificial já estão sendo desenvolvidas no mercado imobiliário e o objetivo é claro: achatar a curva de tempo da primeira fase da jornada de compra do cliente, a fase da pesquisa.

As empresas querem entregar ao cliente a certeza e a máxima confiança. Elas não querem que o cliente perca seu valioso tempo visitando muitos imóveis que poderia deixar de visitar se tivesse a dedução de características com base no critério de preferência dele. Aí que entra a inteligência artificial.

Novas ferramentas e tecnologias

Quando analisamos o desenvolvimento da inteligência artificial no mercado imobiliário, notamos a contribuição de ferramentas para o aprimoramento dos sistemas de informação e tecnologias, como o CRM imobiliário.

Essa ferramenta gerencia e controla as interações com os clientes, auxiliando o gestor a compreender em qual estágio da jornada de compra está sendo otimizada a rentabilidade do negócio. Claro que o objetivo é aumentar as vendas.

Como isso impacta a vida do corretor de imóveis?

Devo assumir que não tem volta, todos terão acesso aos mesmos imóveis praticamente – isso é fato. No entanto, o que fará a diferença para o corretor não é necessariamente o produto que ele tem a vender. Ficou curioso?

A maneira como o corretor presta o serviço, como faz o atendimento ao cliente, sua eficiência e, acima de tudo, as características pessoais no atendimento, oferecendo mais conforto, mais segurança e otimização do tempo. São essas as características que diferenciam o corretor até mesmo com o uso da inteligência artificial.

Nas primeiras fases da jornada de compra, se olharmos o funil de vendas de forma mais ampla, incluindo a etapa do marketing, teríamos as seguintes partes: marketing, prospect, lead, pré-atendimento, atendimento e agendamento.

Perceba, nessas fases, em mais de 88% dos casos, pelo menos daqueles que eu verifiquei nas construtoras, incorporadoras e loteadoras que atendo, tal atendimento já é 100% digital.

Habilidade de aferir características do produto

A requisição desses clientes, em mais de 93% dos casos, está relacionada às informações do produto. Isso quer dizer que a habilidade de aferir as características do produto não exige necessariamente qualificação técnica de corretagem de imóveis. Uma pessoa que entenda de informações do produto, especialmente na construção civil, poderia fazer isso muito bem.

A verdade é que a máquina faria isso mais rápido do que qualquer pessoa. Sendo assim, automatizar as operações nos negócios imobiliários é uma questão de transformação do segmento, adaptação e permanência no mercado.

Desafio humano sempre

Não estou aqui apregoando a substituição do homem pela máquina, muito pelo contrário. Acredito piamente que o desafio da nova prestação de serviço é usar interfaces digitais, mas jamais perder de vista que pessoas gostam de ser atendidas por pessoas.

Mesmo assim, é inegável que as empresas estão procurando otimizar o tempo da prestação de serviço. Outra verdade é que buscam entregar muito mais comodidade e confiança ao cliente.

Contexto digital no imobiliário

Em outras matérias do IMVC vou continuar discorrendo sobre a importância desse assunto para o mercado imobiliário 4.0 e quais são os outros tópicos que irão aparecer no panorama da fidedignidade dos dados.

Sou pioneiro no Brasil quanto ao que chamamos de CCMI (Compliance Comercial para o Mercado Imobiliário). Em outros conteúdos vou explicar como o compliance será a medida que vai aferir a segurança dos que querem investir neste setor, sejam investidores de fundos imobiliários, compradores ou empreendedores que desejam ingressar, bem como clientes finais.

O compliance ajuda o mercado imobiliário a ter mais segurança na tratativa de dados, otimizando a jornada de compra dos clientes. Na operação comercial de incorporadoras, construtoras e loteadoras, a inteligência artificial prova que o contexto da era digital é muito grande e só está no início.

Estica o braço que é tudo seu, põe na conta do Abreu!

Thiago Abreu

@ContadoAbreuOficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *