Maio 2021
12
Luan Sperandio
DATA BUSINESS

porLuan Sperandio

Maio 2021
12
Luan Sperandio
DATA BUSINESS

porLuan Sperandio

A divisão dos recursos

O Funses, regulamentado no ano passado, constituirá, por meio de recursos obtidos com os royalties do petróleo, uma poupança intergeracional, com o intuito de garantir o desenvolvimento socioeconômico do estado nas próximas décadas. Essa poupança será gerenciada pelo Banestes.

Por outro lado, uma das vertentes de investimentos em negócios será o FIP, voltado exclusivamente para aplicação de recursos em empresas de inovação, rochas ornamentais, serviços, arranjo metal mecânico e madeireiras, por exemplo, para aperfeiçoar o ambiente produtivo. Com recursos iniciais em R$ 250 milhões via licitação, a expectativa é que ele alcance cerca de R$ 500 milhões até o fim do ano. O FIP realizará esses investimentos por meio do Bandes.

A criação do FIP faz parte do Plano Espírito Santo – Convivência Consciente, que envolve um conjunto de ações do setor público – governos federal e estadual – e privado para reduzir os impactos da pandemia no Estado. Para o monitoramento e divulgação de informações, foi lançado o site planoes.es.gov.br.

Os moldes de funcionamento

Para a poupança intergeracional, o Banestes aplicará os recursos em fundos de multimercado. Além disso, com recursos em mais de R$ 170 milhões hoje, o governo do estado espera que esses valores ultrapassem os R$ 200 milhões até o fim de 2021 e R$ 300 milhões em 2022. A rentabilidade mínima estipulada é de de 100% do CDI.

Já para o FIP, os números atuais são de R$ 264 milhões, esperando que até o fim de 2021 chegue a mais de R$ 300 milhões e, por fim, alcançando o valor de R$ 500 milhões. No total, o Fundo Soberano do estado conta com um saldo de R$ 441 milhões e espera-se que até 2022, no fim do atual governo, esses recursos cheguem à R$ 840 milhões, de acordo com estimativas conservadoras.

Para o FPI, a duração será de dez anos após a ingresso da gestão, que serão divididos entre análise, realização e retirada de investimentos até o fim do período. Pelas regras adotadas, não haverá participação no conselho de administração dessas empresas que receberão os investimentos. A ideia é investir e estabelecer metas para que esses empreendimentos apliquem de forma produtiva tais recursos.

 

Veja também

As informações/opiniões aqui escritas são de cunho pessoal e não necessariamente refletem os posicionamentos do Folha Vitória

Pular para a barra de ferramentas