Thiago Abreu
IMÓVEL PARA VOCÊ

porThiago Abreu

Dez 2020
23
Thiago Abreu
IMÓVEL PARA VOCÊ

porThiago Abreu

Dez 2020
23

Foco no atendimento ao cliente, com proximidade e atenção

Em tempos de marketing digital, uma importante percepção da Morar foi a de que é fundamental estar em constante observação a respeito das tendências do mercado, dos desejos dos clientes e, mais ainda, é prioritário para as empresas manter uma sólida ligação com eles, como afirma Rodrigo Almeida, presidente da Morar. “Acreditamos que o mais importante para a aproximação com os clientes é verdadeiramente conhecê-los. Neste ano, além dos lançamentos através das lives, passamos a nos esforçar para fazer os atendimentos superarem as expectativas dos clientes, mesmo à distância”, afirma. “Um exemplo vem dos clientes cujos apartamentos estão com as obras em andamento. Entendemos que a expectativa dessas pessoas é saber qual o exato estágio da obra na linha do tempo, para que elas possam se planejar em torno da mudança. Por isso, a Morar produz conteúdos para que esses clientes possam acompanhar o andamento da construção de seus lares, dos locais onde as famílias vão viver e construir seus sonhos. Compreender as reais necessidades dos clientes é fundamental para nos mantermos relevantes em nosso mercado”, complementa Rodrigo Almeida.

Em quase 40 anos de história, o que não faltam são empreendimentos marcantes na história da Morar. O Aldeia de Laranjeiras, na Serra, foi o primeiro condomínio fechado de casas do Espírito Santo. Foi uma grande inovação, pois o mercado da Serra praticamente só convivia com perfil, à época, de edificações de padrão econômico e a Morar conseguiu elevar o padrão habitacional, abrindo um novo mercado.

Contínua inovação para 2021 e novos mercados

Em 2021, a Morar pretende seguir inovando, alinhada aos desejos do público capixaba. No planejamento para o próximo ano, a empresa pretende realizar novos lançamentos na Serra, Vila Velha e, pela primeira vez, há planos de entrar no mercado imobiliário de Cariacica. Em Campos dos Goytacazes (RJ), onde a Morar lançou o Vista de Campos em 2020, também há planos de expansão.

“Nossa prioridade é continuar a ter um foco contínuo no relacionamento com o cliente e com as entregas de obras no prazo. Esse é um compromisso que a Morar cumpriu com 100% de êxito ao longo de quase 40 anos. O cuidado e a real prestação de um serviço e entrega de um produto na qualidade que o cliente merece, trazendo soluções que realmente impactem positivamente as vidas das pessoas. Essas seguem sendo nossas prioridades. Assim, acreditamos que vamos comemorar nossos primeiros 40 anos e lançaremos as bases para um futuro sustentável da empresa”, finaliza Rodrigo Almeida.

Postado Agora

Empresa anuncia blockchain para gestão de condomínios

A Growth Tech, startup brasileira focada no desenvolvimento de soluções baseadas em blockchain, lançou uma nova ferramenta voltada para a gestão de condomínios. A recém-lançada Digi é uma solução 100% digital que está disponível 24 horas por dia e usa a tecnologia blockchain para evitar fraudes. A iniciativa é resultado de uma parceria com a BAP Administração de Bens. A administradora atende mais de 400 condomínios e 33 mil unidades domiciliares.

Postado Agora

Blockchain vai garantir ambiente antifraude

As empresas Growth Tech e BAP Administração de Bens explicaram que vão oferecer serviços como pagamentos e consultoria completa em administração e saúde financeira. Além disso, todas as ações serão registradas em blockchain com o objetivo de gerar um ambiente transparente e antifraude. Serviços como malote de documentos digitais, prestação de contas e análise de dados para previsão orçamentária são alguns dos exemplos dos serviços prestados. A Growth Tech afirmou que todo condomínio pode ter acesso à plataforma porque serão disponibilizados logins para síndico, moradores e administradora.

Postado Agora

Venda de imóvel reforça caixa de empresas

A taxa básica de juros na mínima histórica e o apetite de investidores por aplicações de maior rentabilidade colocaram em ebulição o mercado imobiliário no País e levaram empresas donas de escritórios, galpões ou lojas a se desfazer dos ativos para reforçar o caixa. A estratégia está sendo utilizada não só por companhias em dificuldade e que buscam se desviar de uma renegociação de dívidas na Justiça, mas também por aquelas que estão com a saúde financeira em dia, mas querem levantar recursos - como o GPA, dono da marca Pão de Açúcar, que vendeu 39 lojas e levantou R$ 1,2 bi.

As informações/opiniões aqui escritas são de cunho pessoal e não necessariamente refletem os posicionamentos do Folha Vitória

Pular para a barra de ferramentas