Isaac Cabral: “É importante uma liderança proativa, e não reativa”

Empresário, paraense, casado, presidente da rede de farmácias Preço Baixo, Isaac Cabral chegou ao Espírito Santo quando o estado ainda era uma “ilha” no mercado farmacêutico nacional, contando apenas com redes de farmácias regionais. Em 2013, trouxe ao Espírito Santo a rede Preço Baixo, que já contava com 25 lojas no Pará. O estado se mostrou, na verdade, uma “ilha de prosperidade” e ele iniciou uma expansão agressiva. Hoje, Isaac administra a rede própria do grupo, com 142 lojas. 

A primeira loja da Preço Baixo no Espírito Santo foi inaugurada em Pinheiros, em 2013. Outras 74 foram inauguradas em 2014. Em todo o Brasil são mais de 380 lojas, com estimativa de faturamento para 2021 de mais de R$ 1 bilhão.

 

Você foi eleito líder no seu segmento de atuação por votação popular. A que atribui sua vitória? Por que as pessoas o elegeram líder?

Creio que em função da capilaridade das lojas e do crescimento da rede bem acima do mercado nacional.

 

Qual seu conceito de liderança?

O bom líder sabe reconhecer sua equipe e suas próprias virtudes e falhas e deve ensinar sempre pelo exemplo.

 

Por que é importante ter uma liderança positiva e como praticá-la?

Acho que seja importante uma liderança sempre proativa, e não reativa.

 

Na sua avaliação, como é possível encontrar o equilíbrio e desenvolver uma liderança mais humana, capaz de engajar pessoas?

Colocando-se no lugar delas e dando-lhes mais oportunidade de mostrar o seu lado da moeda, além de trabalhar o sentimento de pertencimento na equipe.

 

Quais comportamentos e habilidades precisam estar mais desenvolvidos no líder?

Resiliência e a capacidade de oportunizar pessoas.

 

Qual o papel do líder para a garantia da diversidade na companhia?

Não temos o propósito fim na diversidade, mas entendemos que não a diversidade, mas a individualidade é importante. Os talentos precisam ser identificados e exaltados no time.

 

A quais outras pautas e temas o líder precisa estar atento nos dias atuais?

Bem-estar das pessoas, saúde mental, ambiente leve propício à inovação e criação, motivação como motivo para ação, além de outros.

 

Quais foram seus maiores desafios e conquistas até hoje enquanto líder?

Meu maior desafio foi oportunizar e confiar nas pessoas, descentralizar.

 

Qual é, para você, o futuro da liderança? Que habilidades precisa ter o líder do futuro?

A liderança terá que focar na coletividade, no time, não na instituição, creio que haverá um nivelamento maior na hierarquia.

Patrocínio

Apoio