• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Tomate tem alta de 104% e puxa alta da inflação na Grande Vitória em 2018, a 3ª maior do país

  • COMPARTILHE
Economia

Tomate tem alta de 104% e puxa alta da inflação na Grande Vitória em 2018, a 3ª maior do país

Vitória registrou alta de 4,19% nos preços, acima da média nacional e o 3º maior aumento do país

Foto: Pixabay

O tomate voltou a ser o grande vilão da inflação, pelo menos na Grande Vitória. De acordo com uma pesquisa do IBGE, divulgada nesta sexta-feira (11), o item teve um aumento de 104% na comparação de 2018 com o ano anterior e puxou uma inflação geral de 4,19% na região metropolitana.

Além do tomate, a farinha de trigo, com alta de 39%; a batata-inglesa, com aumento de 25% e até a passagem aérea, que ficou 20% mais cara; elevaram o preço durante o ano.

Com isso, Vitória foi a terceira capital no país com a maior alta, ficando atrás apenas de Porto Alegre que acumulou maior inflação em 2018 (4,62%), seguida por Rio de Janeiro (4,3%). A média nacional ficou em 3,75%.

Esta é a maior inflação do ano desde 2016, quando o IBGE registrou 5,11% de aumento. Em 2017, o índice havia tido alta de 2,55%.

Greve dos caminhoneiros

O resultado foi impactado pela greve dos caminhoneiros em maio, o que provocou desabastecimento de itens alimentícios e aumento de preços desses produtos.

“Essa paralisação [dos caminhoneiros] ocorreu no fim de maio, então ela teve um impacto pontual, em junho, nos combustíveis e também nos alimentos, por causa do desabastecimento. [Se não houvesse a greve], provavelmente isso acarretaria num nível menor da inflação no acumulado do ano”, disse o pesquisador do IBGE Fernando Gonçalves.

Inflação de dezembro

Na análise do mês, comparando os preços de dezembro com novembro, o preço dos produtos caiu 0,01%. O repolho registrou a maior alta, com 37,83% de aumento dos preços. A passagem aérea (20%), o mamão (12%), o feijão (9%) e a cebola (8%) também ficaram mais caros.

Por outro lado, o tomate ficou mais barato, quando é analisada a variação entre novembro e dezembro, com 25% de deflação. A couve-flor (-11,79%), o leite longa-vida (-10,54%) e a manga (-8,54%) foram outros produtos que diminuíram de valor.