• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Classificação de atividades econômicas ganha nova versão

Economia

Classificação de atividades econômicas ganha nova versão

Rio - O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira, 25, a nova Classificação Nacional de Atividades Econômicas: Subclasses para uso da administração pública. A nova versão passa a ter 1.329 subclasses, contra 1.318 na versão anterior.

A CNAE-Subclasses é uma classificação derivada da CNAE organizada em cinco níveis: seções, divisões, grupos, classes e subclasses. O quinto nível, de subclasses, corresponde ao detalhamento usado para a identificação econômica das unidades de produção em cadastros e registros da administração pública, nas três esferas de governo. Segundo o instituto, a definição das subclasses leva em consideração as necessidades da administração pública na identificação mais particularizada da atividade econômica.

Na versão anterior, em vigor desde 2010, a CNAE Subclasses tinha 21 seções, 87 divisões, 285 grupos, 673 classes e 1.318 subclasses. A estrutura atual da versão 2.2 altera somente o quinto nível da classificação, mantendo o mesmo número de seções, divisões, grupos e classes. O órgão informa que foram incluídas 20 subclasses, sendo que nove subclasses foram excluídas e outras nove mudaram de denominação. A CNAE Subclasses 2.2 entrou em vigor em 01 de janeiro de 2015.

A CNAE é um instrumento de organização dos sistemas de informação dos agentes econômicos, que busca padronizar a forma com que os diferentes órgãos do País classificam as unidades econômicas segundo suas atividades. Até 1994, ano de criação da primeira versão da CNAE, diferentes classificações eram utilizadas por órgãos públicos, o que fazia com que um mesmo agente econômico pudesse estar identificado por códigos diferentes nos cadastros das administrações federal, estadual e municipal, "dificultando o confronto de informações e limitando o seu potencial analítico", ressaltou o IBGE.