China quer reduzir capacidade de produção de aço em até 150 milhões de toneladas

Economia

China quer reduzir capacidade de produção de aço em até 150 milhões de toneladas

Redação Folha Vitória

Pequim - O Conselho Estatal da China, ou gabinete, anunciou que planeja cortar a capacidade de produção de aço bruto do país entre 100 milhões e 150 milhões de toneladas nos próximos cinco anos. Com a medida, Pequim tenta ajudar sua indústria de aço e ferro, que enfrenta o problema de excesso de capacidade.

Segundo diretrizes divulgadas no site federal, governos locais devem interromper a produção de siderúrgicas defasadas e ajudá-las a aperfeiçoar sua tecnologia.

O gabinete também determinou que o fim das chamadas empresas "zumbi" seja acelerado, por meio de fusões e aquisições, reestruturações de dívida e liquidações.

O governo central prometeu ampliar o apoio fiscal e financeiro a siderúrgicas que tenham de cortar funcionários.

As diretrizes também encorajam a aposentadoria antecipada. Trabalhadores com planos de se aposentar nos próximos cinco anos poderão fazê-lo antecipadamente. Neste caso, as empresas continuarão pagando salários e contribuindo com pensões e planos de saúde. No entanto, os que se afastarem antecipadamente não poderão receber pensões até atingirem a idade estipulada para a aposentadoria.

No início da semana, o vice-secretário-geral da Associação de Ferro e Aço da China, Chi Jingdong, estimou que a indústria siderúrgica deverá cortar cerca de 500 mil trabalhadores, segundo o semanário chinês The Economic Observer.

No ano passado, o lucro líquido das siderúrgicas chinesas sofreu queda de 68% ante 2014, segundo dados oficiais. Fonte: Dow Jones Newswires.