Produção industrial recua em 12 dos 15 locais pesquisados em 2015, diz IBGE

Economia

Produção industrial recua em 12 dos 15 locais pesquisados em 2015, diz IBGE

Redação Folha Vitória

Rio - A produção da indústria encolheu em 12 dos 15 locais que integram a Pesquisa Industrial Mensal (PIM) durante o ano de 2015, na comparação com o ano anterior, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No maior parque industrial do País, São Paulo, a queda foi de 11,0% em relação a 2014.

As demais perdas foram registradas no Amazonas (-16,8%), Rio Grande do Sul (-11,8%), Ceará (-9,7%), Paraná (-9,6%), Santa Catarina (-7,9%), Minas Gerais (-7,9%), Bahia (-7,0%), Rio de Janeiro (-6,5%), Pernambuco (-3,5%), Região Nordeste (-3,0%) e Goiás (-2,5%).

Os únicos locais com avanço na produção no ano foram Pará (5,7%), Mato Grosso (4,7%) e Espírito Santo (4,4%).

No total do País, a indústria brasileira acumulou retração de 8,3% em 2015.

Dezembro

Em dezembro de 2015, a produção da indústria encolheu em nove dos 14 locais que integram a Pesquisa Industrial Mensal, na comparação com novembro. Os recuos mais intensos foram registrados em Pernambuco (-11,9%), Amazonas (-7,1%) e Santa Catarina (-5,4%). São Paulo (-2,3%), Pará (-1,8%) e Espírito Santo (-1,7%) também caíram mais do que a média nacional (-0,7%) - mesma variação do Paraná (-0,7%). Goiás (-0,6%) e Região Nordeste (-0,4%) registraram quedas menores.

Na direção oposta, o Rio Grande do Sul (1,8%) mostrou o avanço mais elevado, após a expansão de 1,0% verificada no mês anterior. Os demais resultados positivos ocorreram na Bahia (1,4%), Rio de Janeiro (1,3%), Minas Gerais (1,1%) e Ceará (0,6%).

Na comparação entre dezembro de 2015 e o mesmo mês de 2014, a produção da indústria encolheu em 13 dos 15 locais que integram a PIM. No maior parque industrial do País, São Paulo, a queda foi de 12,4%.

Os recuos mais intensos foram no Amazonas (-30,0%), Espírito Santo (-19,1%) e Paraná (-16,1%). O Ceará (-13,4%) também teve queda mais acentuada do que a média nacional (-11,9%).

Os demais resultados negativos ocorreram no Rio Grande do Sul (-11,5%), Minas Gerais (-10,9%), Rio de Janeiro (-10,2%), Pernambuco (-9,8%), Santa Catarina (-9,8%), Bahia (-6,0%), Região Nordeste (-5,6%) e Goiás (-1,8%).

Apenas o Mato Grosso (18,7%) e o Pará (3,7%) mostraram avanços na produção.