Produção segue em queda, mas empresário está otimista, revela CNI

Economia

Produção segue em queda, mas empresário está otimista, revela CNI

Redação Folha Vitória

Brasília - A produção industrial continuou em queda no início de 2018, mas a intensidade foi bem menor do que em dezembro e em janeiro do ano passado. Sondagem Industrial divulgada nesta sexta-feira, 23, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que o índice de evolução da produção ficou em 48,4 pontos em janeiro, abaixo da linha divisória de 50 pontos, mas 6 pontos maior que o registrado em dezembro passado e 4,2 pontos superior ao de janeiro de 2017. De acordo com o estudo, o dado é também superior ao de meses de janeiro desde 2014.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) subiu 1 ponto porcentual entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018, e chegou a 65%, o que mostra que o nível de ociosidade na indústria segue elevada.

"O porcentual de janeiro é de 5 p.p. inferior à média para o mês entre 2011 e 2016 (70%)", cita o levantamento.

Otimismo

Apesar de um cenário de desempenho ainda fraco, o setor empresarial está otimista quanto aos próximos seis meses, sobretudo no emprego. Segundo a CNI, pela primeira vez em quase quatro anos, o empresário industrial prevê aumento do número de empregados.

O índice que mede a expectativa de evolução do número de empregados subiu de 50,2 pontos, na edição anterior, para 51,2 pontos, no estudo atual. A última vez que o índice superou os 51 pontos foi em março de 2014, quando ficou em 51,8, informa a CNI.

Além do emprego, os outros índices de expectativa tiveram alta pelo segundo mês consecutivo, todos com resultados acima dos 50 pontos. Segundo a CNI, os empresários acreditam em aumento mais intenso da demanda e da quantidade exportada e pretendem ampliar as compras de matérias-primas.

Além disso, o índice de intenção de investimento aumentou 0,6 ponto, alcançando 53,6 pontos, o maior valor desde 2014, quando ficou em 54,6 pontos.

"O índice encontra-se 5,8 pontos acima da média histórica do indicador, de 47,8 pontos, e 6,7 pontos acima do registrado em fevereiro de 2017", cita a sondagem. A intenção de investimento das grandes indústrias ficou em 62,2 pontos, seguida das médias, com 49,2 pontos, e das pequenas, com 41,1 pontos.

A Sondagem Industrial de janeiro de 2018 consultou 2.331 empresas, das quais 945 pequenas, 842 médias e 544 grandes. Os dados foram coletados no período de 1º a 19 de fevereiro de 2018.