China não está preocupada com perspectiva de alta de juros nos EUA, diz PBoC

Economia

China não está preocupada com perspectiva de alta de juros nos EUA, diz PBoC

Redação Folha Vitória

Pequim - A China não está preocupada com a perspectiva de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) comece a elevar suas taxas básicas de juros nos próximos meses, afirmou hoje o presidente do banco central chinês (PBoC), Zhou Xiaochuan. Segundo Zhou, o eventual início da alta de juros nos EUA seria um "sinal de recuperação econômica".

O Fed tem reunião de política monetária marcada para os próximos dias 17 e 18 e a expectativa é que o BC norte-americano prepare o terreno para começar a elevar os juros básicos - que estão em mínimas históricas desde 2008 -, possivelmente a partir de junho.

Zhou também comentou, durante coletiva de imprensa, que Pequim deverá lançar um programa de seguro para depósitos bancários ainda no primeiro semestre deste ano. Atualmente, a China não possui um esquema de seguro, mas acredita-se que o governo esteja sempre a postos para socorrer os bancos do país, que são predominantemente de controle estatal.

O chefe do PBoC disse ainda que são boas as chances de a China retirar todos os controles sobre taxas de juros de depósitos este ano. Hoje, essas taxas são determinadas pelo BC chinês.

A liberalização das taxas - que deve impulsionar a concorrência no setor bancário - e a entrada de novas instituições menores podem levar à falência de bancos mais fracos na China. Essa possível situação gerou pressão sobre o governo chinês para a criação de um sistema de seguro para depósitos bancários.

De acordo com proposta anunciada no fim do ano passado, os depositantes teriam direito a seguro para valores de até 500 mil yuans (US$ 81 mil). Fonte: Dow Jones Newswires.