Número de itens com alta de preços dentro do IPC ainda é elevado, diz FGV

Economia

Número de itens com alta de preços dentro do IPC ainda é elevado, diz FGV

Redação Folha Vitória

Rio - Passado o momento em que se concentram os reajustes de mensalidades escolares, a inflação do varejo deu uma trégua considerável em fevereiro, embora ainda permaneça em nível elevado. Altas menores na tarifa de eletricidade e nos alimentos in natura também contribuíram para o alívio. Apesar disso, ainda há um grande número de itens em elevação - entre eles a gasolina. No índice medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), mais de dois terços dos artigos pesquisados estão ficando mais caros.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,97% no mês passado, após alta de 1,73% em janeiro, no âmbito do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI). A despeito da diferença de 0,76 ponto porcentual, a proporção de itens com taxa positiva pouco cedeu. O chamado índice de difusão ficou em 69,53%, contra 70,71% na mesma base de comparação.

Ao todo, cinco das oito classes de despesa que fazem parte do IPC desaceleraram. A principal delas foi Educação, Leitura e Recreação (4,15% para -0,02%). Após uma alta de 9,19% em janeiro, no ápice dos reajustes de mensalidades, o item cursos formais avançou 0,05% em fevereiro. Além disso, as passagens aéreas ficaram 19,76% mais baratas no mês passado, reforçando o alívio.

Também perderam força na passagem do mês os grupos Habitação (2,01% para 0,90%), Alimentação (1,64% para 0,77%), Comunicação (0,52% para 0,27%) e Despesas Diversas (1,96% para 1,16%). Nestas classes de despesa, destacaram-se os itens tarifa de eletricidade residencial (9,41% para 1,09%), hortaliças e legumes (13,32% para 4,56%), pacotes de telefonia fixa e internet (1,20% para -0,04%) e cigarros (3,34% para 1,84%), respectivamente.

No sentido contrário, a gasolina subiu 8,35% no mês de fevereiro, enquanto o etanol avançou 5,28%. Esses dois itens sustentaram a alta do grupo Transportes (2,39% para 2,52%). Também aceleraram os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (0,30% para 0,63%) e Vestuário (-0,44% para 0,11%). Nestas classes de despesa, os destaques partiram dos itens artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,94% para 0,51%) e roupas (-0,79% para -0,09%).

Construção

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou, em fevereiro, alta de 0,31%, abaixo do resultado de janeiro (0,92%). O resultado foi influenciado tanto pelo índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços (0,97% para 0,42%) quanto pelo custo da mão de obra (0,87% para 0,21%).