'Economia que estava sem rumo, agora está em parafuso', diz Findes

Economia

'Economia que estava sem rumo, agora está em parafuso', diz Findes

Presidente da federação, Marcos Guerra, considera a situação está caótica e ninguém pode garantir que o mercado continuará como se apresentou nesses dois últimos dias

Otimismo trazido pela Lava Jato à economia é passageiro, garante o presidente da Findes Foto: ​Divulgação

Alguns reflexos causados pela 24ª etapa da Operação Lava Jato, como a queda brusca do valor do dólar em relação ao real e o aumento do volume de negócios na bolsa de valores, pode deixar os brasileiros mais otimistas em relação à economia do País. 

No entanto, o que pode parecer um processo de melhoria da crise econômica pode não se tornar realidade. De acordo com a avaliação do presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo, Marcos Guerra, a situação está instável e ninguém pode garantir que o mercado continuará como se apresentou nesses dois últimos dias. 

“A economia brasileira estava sem rumo, mas agora entrou em parafuso. A queda brusca do dólar em tão pouco tempo, por exemplo, não significa uma melhoria nos negócios e sim um momento de turbulência”, afirmou. O dirigente disse ainda que o momento exige calma e reavaliação do cenário econômico. 

O lado bom dessa movimentação, segundo Guerra, está na renovação da confiança do brasileiro. “A população está voltando a acreditar na justiça. O rápido desenrolar dessa operação trará ao Brasil um sinal de esperança para que a economia entre nos trilhos”, frisou o presidente da Findes.

“Em algumas situações, a indústria precisa dar dois passos para trás para depois andar quatro, cinco passos à frente. Este é o momento de retrocesso, de manter os pés no chão para, no momento propício, avançar”, finalizou.