Armínio Fraga vê riscos para tramitação da reforma da previdência no Congresso

Economia

Armínio Fraga vê riscos para tramitação da reforma da previdência no Congresso

"Está longe de ser um consenso. O governo vai ter de mobilizar toda sua energia e capital político para conseguir este resultado (aprovação da reforma)", afirmou

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação/PSDB

O ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga disse nesta quarta-feira (27) que vê riscos para a tramitação da reforma da Previdência no Congresso Nacional. "Está longe de ser um consenso. O governo vai ter de mobilizar toda sua energia e capital político para conseguir este resultado (aprovação da reforma)", afirmou a jornalistas, após participar de painel na Escola de Economia de São Paulo, da Fundação Getulio Vargas (EESP/FGV).

Fraga disse que, embora não seja especialista em política, reconhece que, "olhando de fora, o clima está difícil".

"O País continua tendo uma quantidade enorme de partidos. E a política funciona a partir de negociações. Isso não tem nada a ver com o modelo de corrupção, rejeitado por todos nós. Tem a ver com política. A política existe na Noruega, no Japão, nos EUA. Precisamos fazer política com P maiúsculo", afirmou Fraga.

Na avaliação do economista, que presidiu o BC durante o segundo mandato do Governo Fernando Henrique Cardoso, a reforma da Previdência é o principal item da pauta econômica e social do País neste momento.

Ele defendeu a mudança nas aposentadorias e disse que o atual regime é "repleto de injustiças". "Por isso, há muitas e boas razões para se fazer a reforma e para que ela seja impactante", afirmou.