Por conta do Iba, pescadores não vão ao mar e preços podem disparar na Semana Santa

Economia

Por conta do Iba, pescadores não vão ao mar e preços podem disparar na Semana Santa

Com a aproximação da tempestade e a previsão de ondas de até 5 metros em alto-mar, a atividade pesqueira na costa capixaba passa a ser arriscada

Foto: Reprodução/TV Vitória

Pescadores da Grande Vitória estão enfrentando prejuízos devido à chegada da tempestade tropical Iba, que se aproxima da região pela costa norte do Espírito Santo. Os efeitos do fenômeno deverão ser sentidos até a terça-feira (26), afetando principalmente o alto-mar.

Com a aproximação da tempestade, a pesca na costa passa a ser arriscada. A previsão é de ocorrência de ondas com altura entre 3,0 e 5,0 metros em alto-mar e possibilidade de ocorrência de ressaca atingindo a costa entre Vitória, no Espírito Santo, e Caravelas, na Bahia.

O fenômeno chega em uma das épocas mais lucrativas para a pesca no estado, com a aproximação da Semana Santa. Apesar da tempestade estar se afastando da costa, pescadores avaliam que isso pode impactar nos preços dos pescados. 

A pescadora Joseane dos Santos contou à equipe da TV Vitória/Record TV que a ressaca provocada pelo fenômeno de março atrapalha as vendas do pescado. "Toda vez que vem a maré de março a gente fica quase dois meses sem trabalhar na Praia de Itapuã. Isso prejudica muito a gente", conta a pescadora.

Para o pescador Marcelo Helmer, o prejuízo fez com que as contas ficassem atrasadas.

"Tive um prejuízo de cerca de R$ 2.000 na semana passada. Ainda tem o problema de que no período de defeso o INSS não nos pagou. Já vai para o quarto (mês de atraso) e até agora, nada. As contas estão atrasadas e por isso a gente tem que arriscar", revela Helmer.