Em encontro com rei da Suécia, CNI defende acordo previdenciário e reformas

Economia

Em encontro com rei da Suécia, CNI defende acordo previdenciário e reformas

Redação Folha Vitória

São Paulo - Em debate com empresários brasileiros e suecos, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) propôs a criação de alguns acordos entre Brasil e Suécia, entre eles a unificação da contribuição previdenciária de empresas instaladas nos dos países. Além disso, a entidade defendeu que o crescimento econômico e a retomada do emprego no Brasil dependem de reformas estruturais, como a da Previdência. O encontro ocorre no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, e deve receber o presidente Michel Temer (PMDB) e o governador Geraldo Alckmin (PSDB)

O acordo previdenciário foi defendido pelo presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, durante o Fórum de Líderes Brasil-Suécia, que reúne empresários e o rei Carlos XVI Gustavo da Suécia. Segundo informou a assessoria de imprensa de Andrade, esse acordo permitiria o reconhecimento das contribuições à previdência social dos trabalhadores do Brasil e da Suécia, evitando a dupla contribuição aos sistemas previdenciários dos dois países, e é estratégico para a internacionalização das companhias.

O diretor de Políticas e Estratégia da CNI, José Augusto Fernandes, também fez um discurso no encontro e apresentou a Agenda Legislativa da Indústria, lançada pela CNI na semana passada. Entre as propostas consideradas prioritárias pela instituição, estão as reformas política, tributária e da Previdência no País.

O encontro reúne 62 empresários, entre suecos e brasileiros, para debater a relação dos países. Após o Fórum, a CNI oferece um jantar para 150 pessoas, entre empresários e autoridades governamentais, no hall nobre do Bandeirantes.