• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cielo: varejo ampliado sobe 1,1% em abril ante abril de 2014, descontada inflação

Economia

Cielo: varejo ampliado sobe 1,1% em abril ante abril de 2014, descontada inflação

São Paulo - A receita de vendas do comércio varejista ampliado (incluindo automóveis e materiais de construção) cresceu 1,1% em abril, na comparação com o mesmo mês do ano passado, já descontado o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mostra o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) divulgado nesta quinta-feira, 14. Sem a inflação, o crescimento nominal da receita foi maior no período, de 7,1%.

De acordo com a Cielo, os resultados do mês foram beneficiados pelos efeitos do calendário: deslocamento de feriados e trocas de dias da semana. "Os resultados mostram, portanto, que a tendência de desaceleração do varejo ampliado, observada nos últimos meses, foi mantida em abril", afirma a empresa em relatório.

Na cesta de itens do ICVA, a empresa destaca o preço dos medicamentos, que aceleraram para alta de 6,1% em abril, em 12 meses. Por outro lado, ressalta que os combustíveis para veículos desaceleraram, mas ainda permanecem com inflação acima da média, de 8,5%.

Setores

Na análise setorial, a Cielo diz que o setor de bens não duráveis, cujas receitas vinham apresentando mais fôlego nos últimos meses, começou a mostrar "sinais de deterioração". "Supermercados e Hipermercados e Varejo Alimentício Especializado, por exemplo, tiveram um desempenho mais fraco", cita. O destaque positivo ficou com Drogarias e Farmácias, que teve crescimento de dois dígitos mesmo depois de descontada a inflação.

Já o setor de bens duráveis e semiduráveis apresentou, na média, retração no ICVA deflacionado de abril, com desaceleração na receita de vendas, destaca a Cielo. De acordo com a empresa, é o caso dos segmentos de Vestuário, Eletroeletrônicos, Móveis e Decoração e Lojas de Departamento. A exceção foi de Materiais de Construção, que mostrou "sinais de recuperação", embora ainda com retração no índice.

No setor de serviços, a Cielo destaca que o grupo de turismo, composto por Aluguel de Veículos, Hotéis e Agências e Operadoras de Viagem (excluindo Companhias Aéreas), cresceu em ritmo mais lento em abril que em março. Já Alimentação em Bares e Restaurantes apresentou retração nas vendas, descontada a inflação, na comparação com abril de 2014.

Regiões

De acordo com a Cielo, todas as regiões apresentaram crescimento mais fraco em abril, na análise do índice deflacionado. O Norte apresentou o maior crescimento, com alta de 2,2% na receita das vendas em relação a abril de 2014. Em seguida, aparece o Nordeste, com crescimento de 2,1%, seguido pelas regiões Centro-Oeste (1,8%), Sudeste (0,9%) e Sul (0,1%).