Apetite de investidor da China por futuros de minério de ferro pode gerar bolha

Economia

Apetite de investidor da China por futuros de minério de ferro pode gerar bolha

Redação Folha Vitória

Sydney - O preço do minério de ferro durante décadas foi decidido em negociações secretas entre as maiores mineradoras do mundo e as siderúrgicas. Agora, a força dominante é um obscuro mercado de commodities no nordeste da China, em um exemplo claro de como o poder de definir os preços de itens que vão do aço ao cobre caminha para o oriente.

A mudança foi impulsionada por investidores chineses, que colocaram bilhões de dólares nos futuros de minério de ferro negociados na Bolsa de Commodities de Dalian. As apostas geraram tanto volume em dólares quanto os futuros de ouro em Nova York, segundo dados do Citigroup. Isso também criou algo que não havia antes no mercado para o minério de ferro: preços visíveis, em tempo real.

Esses preços estão disparando. Apesar do excesso de oferta de minério de ferro em 2016, os futuros do minério de ferro em Dalian subiram 46% desde o início do ano. Os preços para o minério de ferro no mercado físico avançaram 52%, para atingir a máxima em 15 meses, a US$ 68,70 a tonelada em 21 de abril. Na sexta-feira, a commodity física era negociada a US$ 65,20 a tonelada, enquanto o contrato mais ativo na Bolsa de Dalian fechou a 462 yuans (US$ 70,36 a tonelada).

O avanço do preço gera a preocupação entre os reguladores chineses e também entre os produtores de minério de ferro. Há o temor de que a compra por especulação crie uma bolha e condições voláteis, que dificultam a proteção contra grandes variações.

"Os volumes que são negociados agora são tão altos que eles fragilizam o mercado físico e serão uma influência massiva de agora em diante", afirmou Nev Power, diretor executivo da australiana Fortescue Metals Group, quarta maior exportadora de minério de ferro no mundo. "O lado negativo é a volatilidade que temos visto: isso torna difícil prever que preço haverá mais adiante."

Cerca de US$ 330 bilhões em futuros de minério de ferro foram negociados em Dalian em abril, mais que o dobro do giro mensal de fevereiro e quase quatro vezes o montante gasto no mercado físico do minério de ferro internacionalmente em um ano. Em uma estratégia para acalmar o mercado nos últimos dias, a Bolsa de Dalian elevou os custos para transações e o montante de margem, ou depósito, que os investidores precisam colocar para negociar. Os futuros de minério de ferro recuaram 5,4% na quarta-feira, após caírem o máximo de 6% permitido na terça-feira. Na semana anterior, os futuros subiram 5,9% em dois dias consecutivos. Na quinta-feira, a bolsa também proibiu 13 investidores de abrir posições temporariamente e advertiu que mais de 200 clientes violaram regras de negociações.

A China é o principal consumidor mundial de vários metais, do cobre ao alumínio. O país compra mais de dois terços do minério de ferro no mercado internacional, portanto os sinais sobre a demanda do país são acompanhados com atenção. Fonte: Dow Jones Newswires.