Líder do PDT na Câmara cobra demissão de Parente da Petrobras

Economia

Líder do PDT na Câmara cobra demissão de Parente da Petrobras

Redação Folha Vitória

Assim como outros integrantes da oposição e da própria base do governo Michel Temer, o líder do PDT na Câmara, deputado André Figueiredo (PDT-CE), cobrou a demissão do presidente da Petrobras, Pedro Parente, diante da crise com a greve dos caminhoneiros. Além disso, Figueiredo disse que a política de reajuste dos preços da Petrobras precisa ser revista imediatamente, e não é possível aguardar o próximo governo eleito.

"A situação do presidente da Petrobras, no nosso entender, está insustentável, e essa política de preços da Petrobras precisa ser revista de imediato. Não tem como aguentar até o período eleitoral", disse o parlamentar ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. "Ele não tem mais condições de permanecer no cargo, até porque ele mesmo declarou, desafiando a autoridade do presidente da República, que já não tem quase nenhuma, que se fosse mexer na política de preço da Petrobras ele sairia. Qualquer um que tivesse o mínimo de moral, sendo presidente da República, diria: então saia."

Para o líder do PDT, a política de preços da estatal causou esse "pandemônio", referindo-se à crise da greve dos caminhoneiros.

Ele criticou ainda o uso das Forças Armadas, autorizado pelo presidente Michel Temer, "que agrava ainda mais a situação". "Um verdadeiro absurdo, isso pode gerar um caos ainda maior em um governo que não tem autoridade e credibilidade para promover o mínimo de acordo."