Qual a melhor forma de usar o valor do auxílio emergencial? Economista dá dicas!

CORONAVÍRUS

Economia

Qual a melhor forma de usar o valor do auxílio emergencial? Economista dá dicas!

Para fazer o bom uso do dinheiro, a especialista alerta que é preciso avaliar quais são as prioridades neste momento

Foto: Agência Brasil

Muitos brasileiros já estão na expectativa de receberem a segunda parcela do auxílio emergencial do governo federal. Para outros, no entanto, ainda são esperados os primeiros R$ 600 do benefício. O pagamento será realizado em três parcelas.

Diante de um momento de crise, o auxílio pode ser uma ajuda e tanto para quem passa mais dificuldades no momento. No entanto, é preciso avaliar a maneira correta de usar este valor.

Em entrevista para o programa Espírito Santo no Ar, da TV Vitória / Record TV, a economista Arilda Teixeira destacou alguns pontos que devem ser levados em consideração para o uso deste dinheiro.

Confira as dicas da economista:

Prioridades

A prioridade agora é a sobrevivência. O recurso não é suficiente para se ter tudo, mas ele é capaz de suprir as necessidades básicas. As pessoas que vão receber devem pensar em escrever, fazer uma lista daquilo que é absolutamente essencial, que a gente não pode viver sem. Não podemos viver sem o gás, sem pagar a conta de luz, sem comprar alimento. Coloque esses gastos na prioridade e vai administrando, na medida do possível, para minimizar o aperto e as restrições que estão sendo passadas.

Contas vencidas

Primeiro olhe se o pagar desta conta vai fazer a família ficar com dificuldade de alimentos e suprir as necessidades básicas. Se não for impedir o suprimento dessas necessidades, sugiro que procure o credor e proponha uma negociação, uma forma de pagar, de maneira que a quantia a ser paga caiba dentro do orçamento.

Cartão de crédito

Cartão de crédito é um objeto muito importante na economia. Ele permite que se antecipe uma compra que o nosso dinheiro não dá. O cartão de crédito é um suporte para os momentos de necessidade, não é uma renda adicional. O limite não significa uma renda adicional. Significa que a empresa que está emprestando o dinheiro concedeu aquele valor para nós usarmos, mas ela vai cobrar uma quantia para isso. O cartão de crédito, na verdade, é um mecanismo de se endividar. Necessário e útil, mas precisa e deve ser usado com responsabilidade para que ele não se torne uma arma contra o cidadão contribuinte.

Supermercado

A dica é procurar os preços, se for possível, e comparar preços entre instituições. Não compre produto pela marca, compre pelo que ele é. Nas embalagens, estão escritas as características do produto. Nas gôndolas do supermercado têm vários produtos com nome diferentes, com a mesma finalidade. Olhe dentro das especificações da embalagem e veja. Se for igual, compre o mais barato. Isso é até um comportamento que o consumidor deve ter, porque vai obrigar o produtor a não tirar vantagem do consumidor. O consumidor precisa se dar valor valor para o seu bolso. Outra coisa muito importante é nunca sair para as compras de alimentação sem a lista do que está faltando em casa, do que precisa, e respeitar essa lista na hora de entrar no supermercado. Se for comprar arroz e feijão, entra no supermercado e compra arroz e feijão. Valorize o seu dinheiro.

*Com informações de Suellen Araújo, da TV Vitória / Record TV