• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Maersk Line reduz previsão para PIB do Brasil em 2014

  • COMPARTILHE
Economia

Maersk Line reduz previsão para PIB do Brasil em 2014

São Paulo - Além de reduzir a projeção de crescimento no Brasil, a Maersk Line revisou de 2,5% para menos de 2% a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) do País em 2014. A empresa já previa uma desaceleração da economia brasileira no segundo semestre, mas esperava que a primeira metade do ano teria um desempenho melhor que o verificado até o momento. A previsão de alta de 2,5% do PIB foi feita quando a companhia aguardava crescimento do comércio por contêineres no Brasil entre 5% e 6%, agora revisado para 4%.

Segundo relatório da Maersk Line divulgado nesta terça-feira, 10, as exportações e importações de contêineres aumentaram 4,1% no primeiro trimestre em relação a igual período de 2013, quando a expectativa estava em linha com o que ocorreu no final de 2013 - o quarto trimestre apresentou alta de 8% sobre um ano antes. "Já esperávamos um movimento do segundo semestre abaixo dos 4% e o primeiro trimestre do ano foi decepcionante", afirmou diretor-geral da Maersk Line do Brasil, Peter Gyde.

Ele lembrou que importantes segmentos da indústria brasileira sofrem com aumento de estoques em 2014. É o caso dos produtores de eletrônicos e automóveis. "Os estoques precisam ser reduzidos antes de novas importações de insumos para estes segmentos", afirmou.

A Maersk Line reduziu em 20% a capacidade de seus navios que operam rotas no Brasil no segundo semestre ao não vislumbrar aumento no comércio exterior em agosto e setembro, quando tradicionalmente varejistas aumentam a demanda por conta do Natal. Gyde e o diretor Comercial da companhia, Mario Veraldo, acreditam que o Natal de 2014 terá um comportamento "modesto" em comparação aos anteriores.

Entre os fatores que contribuem para a perspectiva de desaceleração da atividade econômica brasileira no segundo semestre, conforme a Maersk Line, estão redução da demanda do consumidor, greves em diferentes setores de serviços públicos, eleição e Copa do Mundo e risco de racionamento de energia.