• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Chery vai investir R$ 400 milhões em linha de montagem de SUV em Jacareí (SP)

Economia

Chery vai investir R$ 400 milhões em linha de montagem de SUV em Jacareí (SP)

São Paulo - A Chery vai investir R$ 400 milhões na construção da terceira linha de montagem na fábrica de Jacareí (SP). Segundo adiantou ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, o vice-presidente da montadora no Brasil, Luis Curi, a nova linha será destinada à produção do SUV Tiggo 5 e terá capacidade para montar até 30 mil unidades por ano.

A expectativa da empresa é de que as obras comecem em setembro e fiquem prontas em 18 meses. Quando estiver em operação, a nova linha deve gerar 220 postos de trabalho na planta, que tem atualmente cerca de 500 funcionários.

Dos R$ 400 milhões que serão investidos, o vice-presidente da Chery explicou que cerca de R$ 150 milhões serão destinados à compra de equipamentos; R$ 130 milhões para engenharia; R$ 80 milhões para obras físicas de expansão; R$ 20 milhões para Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e R$ 20 milhões para capital de giro.

Todo o montante a ser investido virá de capital próprio da matriz da montadora na China. "Por enquanto, a fábrica daqui ainda é só prejuízo", diz o executivo.

Curi ressalta que o Tiggo 5 deve ter algumas diferenças do modelo produzido na China. Antes do início da produção nacional, o modelo deve chegar ao Brasil importado da matriz. De acordo com o executivo, a previsão é de que o modelo importado comece a ser vendido entre outubro e novembro. Antes disso, a Chery deve lançar o New QQ importado, que também começará a ser produzido no País ainda em 2015.

A linha de montagem do Tiggo 5 será a terceira na fábrica de Jacareí, inaugurada em agosto de 2014. Desde fevereiro, a montadora já produz o Celer em série. Segundo Curi, atualmente são fabricadas cerca de 40 unidades do modelo por dia, produção abaixo da capacidade de 80 carros. A segunda linha de montagem, a do modelo QQ, já está pronta e deve começar a operar no último trimestre deste ano, com capacidade para produzir até 25 mil unidades por ano. Essa linha, diz o executivo, deverá gerar 200 postos de trabalho.

Melhores opções

"A matriz da Chery na China vê o Brasil, ao lado da Rússia, como uma de suas melhores opções de negócio", afirmou Curi, ao justificar o investimento da Chery no País em um período de crise da indústria automotiva nacional. Para o executivo, apesar da queda de 18,4% na venda de automóveis e comerciais leves novos em 2015 até junho, a montadora acredita que o retorno a níveis de quatro anos atrás é "totalmente factível". "Acreditamos que existe mercado para crescer, desde que cresça a renda", disse.

Para o executivo, uma possível retomada das vendas internas deve ficar para 2017, quando ele prevê um mercado "mais calmo". "2016 também deve ser um ano de ajustes, embora menos impactantes, mas ainda de ajustes", acrescentou, prevendo um mercado de 2,7 milhões de unidades no próximo ano.

Para 2015, o vice-presidente da Chery estima que deverão ser emplacados cerca de 2,5 milhões de automóveis e comerciais leves, o equivalente a queda de quase 30% ante os 3,5 milhões emplacadas no ano passado.

Anúncio oficial

O anúncio oficial do lançamento da nova linha de montagem do Tiggo 5 será feito pela direção da Chery nesta segunda-feira, 20, durante a cerimônia de lançamento oficial do Polo Automotivo e Tecnológico de Jacareí.

Em abril, a montadora anunciou que a construção do parque de fornecedores na unidade deverá totalizar investimentos de US$ 300 milhões, a serem feitos pelas empresas que pretendem se instalar no local. O objetivo é atrair até 25 companhias, com potencial de gerar até 5 mil empregos.

De acordo com Curi, no local deverão ser produzidos rodas, amortecedores, freios, sistemas de direção, bancos, tanques de combustíveis, motores e transmissão. O vice-presidente ressalta que nove empresas já "demonstraram" a intenção de se instalar no polo, mas somente uma delas, a brasileira Abrazu, do setor de logística, já começou a construir. A previsão da Chery é de que a fábrica da Abrazu fique pronta em até um ano. "O polo vai desafogar nosso custo logístico", destacou.

As empresas que se instalarem no local receberão benefícios fiscais. Curi adiantou que, durante o evento de segunda-feira em Jacareí, a prefeitura deverá anunciar a edição de uma lei específica prevendo isenção de alguns tributos para essas autopeças, como Imposto sobre Propriedade Territorial e Urbana (IPTU), por até 4 anos, e pagamento da alíquota mínima do Imposto sobre Serviço (ISS).