Levy: governo fará esforço junto ao Congresso para garantir tranquilidade fiscal

Economia

Levy: governo fará esforço junto ao Congresso para garantir tranquilidade fiscal

Redação Folha Vitória

Brasília - Depois dos entraves apresentados pelo Congresso Nacional para a aprovação do ajuste fiscal em curso, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, ressaltou em evento na Escola de Administração Fazendária que vai continuar fazendo "esforços para alinhar entendimentos com o Congresso para garantir uma previsibilidade fiscal que dê tranquilidade".

Sobre as perspectivas para os próximos anos, Levy ressaltou que o governo está fazendo o orçamento para 2016 e se mostrou otimista ao afirmar que em 2017, se as coisas transcorrerem bem como ele está planejando, "é bem possível planejar metas maiores". O ministro afirmou que tem trabalhado com bastante transparência e com o "máximo de segurança". "Não queremos passar ideias que não sejam factíveis num momento em que já se tem incerteza, é importante reduzir incertezas e dar clareza do nosso compromisso", disse.

Para ele, o compromisso com ajuste fiscal continua e as coisas têm que se assimilar no entendimento da firmeza da trajetória econômica, para que alguns fatores que têm trazido incerteza se dissipem. "Eu acredito que ocorrerá", finalizou.

Levy ressaltou diversas vezes a situação da dívida brasileira, que está "em volumes bastante significativos". Para o ministro, a dinâmica da dívida continua sólida e controlável. O ministro afirmou que o País precisa ter um "grau de disciplina fiscal muito grande porque maiores pressões sobre a dívida não vão ajudar na retomada do crescimento". Segundo Levy, é preciso "avaliar a eficácia do gasto para ter trajetória fiscal e da dívida".

Para o ministro, a situação atual do País tem levado empresas a serem cuidadosas e reticentes. "Temos dívida relativamente grande e temos que estar atentos a sua trajetória. Temos que tomar decisões no campo fiscal, do gasto, dar sinalizações que sejam favoráveis à tranquilidade dos mercados", ponderou.