Núcleos no IPCA-15 de julho perdem força de alta ante junho, avalia consultoria

Economia

Núcleos no IPCA-15 de julho perdem força de alta ante junho, avalia consultoria

Redação Folha Vitória

São Paulo - A taxa média dos núcleos do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) de julho atingiu 0,65%, em relação à alta de 0,78% em junho, de acordo com cálculos da Rosenberg Associados, enviados nesta quarta-feira, 22, ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, logo depois que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou o IPCA-15 do período (de 0,59%ante 0,99%).

O resultado da média dos núcleos veio dentro do intervalo das expectativas do AE Projeções (previsões de 0,51% a 0,74%), mas menor que a mediana de 0,67%.

Na abertura dos núcleos, o IPCA-EX desacelerou para 0,71% este mês, na comparação com 0,93% no anterior. O número veio ligeiramente menor que a mediana de 0,72% (estimativas de 0,53% a 0,78%). Este núcleo exclui do cálculo geral os preços de alimentos com comportamentos mais voláteis e combustíveis.

O IPCA-DP, abreviação de Índice de Preços ao Consumidor Amplo - Dupla Ponderação, teve alta de 0,71% no IPCA-15 de julho em relação à taxa de 0,77% em junho. O resultado ficou dentro do intervalo das expectativas, de 0,56% a 0,72%, mas acima da mediana de 0,64%. Esta medida de núcleo repondera os pesos de alguns itens, dando menor peso aos que apresentaram maior volatilidade em um período de 48 meses passados.

Em relação ao IPCA-MS, que é o tradicional núcleo de médias aparadas com suavização, a Rosenberg informou que houve alta de 0,76%, ante 0,77% no IPCA-15 do mês passado. A taxa informada ficou acima das estimativas, que eram de 0,55% a 0,73%, com mediana de 0,67%.

As medidas de núcleos do IPCA são tradicionalmente calculadas pelas instituições do mercado financeiro logo que o IBGE divulga o indicador, uma vez que são acompanhadas de perto pelo Banco Central, que tem como um dos seus principais objetivos o cumprimento das metas de inflação. Os resultados encontrados podem variar ligeiramente de instituição para instituição, mas sempre indicam o caminho que os núcleos estão tomando, auxiliando o mercado e o próprio BC no monitoramento da inflação.