• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Investimentos ambientais de mais de R$ 500 milhões devem gerar 1 mil novos postos de trabalho no ES

  • COMPARTILHE
Economia

Investimentos ambientais de mais de R$ 500 milhões devem gerar 1 mil novos postos de trabalho no ES

A empresa anunciou, durante coletiva na manhã desta sexta-feira (13), um investimento de R$ 574 milhões

Mais de meio bilhão de reais em investimentos ambientais e geração de mil novos postos de trabalho. Essa é a expectativa da Arcelor Mittal Tubarão para os próximos anos. A empresa anunciou, durante coletiva na manhã desta sexta-feira (13), um investimento de R$ 574 milhões, que serão destinados à instalação de uma nova bateria na Coqueria, para controle da emissão por chaminé, além de um novo sistema de despoeiramento para controle da emissão fugitiva.

Além de reforçar a coparticipação da empresa no âmbito econômico do Espírito Santo, com a geração de emprego para as áreas de engenharia, mecânica e elétrica, por exemplo, os novos projetos também pretendem controlar e reduzir os impactos em relação ao meio ambiente. A expectativa da empresa é de que a emissão do material particulado em uma das chaminés seja reduzido em até 50% com a nova bateria.

Jorge Luiz Ribeiro - vice-presidente de operações da Arcelor Mittal 

Segundo o vice-presidente de operações da Arcelor Mittal, Jorge Luiz Ribeiro, foram dois anos de estudos até que o projeto fosse aprovado, em junho deste ano. Na ocasião, ele destacou a importância do investimento.

"Estamos agora anunciando dois grandes ítens adicionais à todos os planos divulgados em 2014, além de ações contidas no termo de compromisso ambiental preliminar coordenado pelos ministérios públicos estadual e federal e governo do Estado. Vai ser um investimento muito importante na redução dos nossos impactos", afirmou.

O gerente geral de sustentabilidade e relações institucionais da Arcelor Mittal Tubarão, João Bosco Reis da Silva, reforçou que os projetos estão alinhados às demandas das partes interessadas locais, incluindo as comunidades do entorno da empresa.

"A nova bateria buscará contemplar aos requisitos do documento BAT (Best Available Techniques), da União Europeira, que contempla requisitos das melhores tecnologias disponíveis. O projeto reduzirá a emissão de material particulado em até 50% na chaminé 02 da Coqueria, diminuindo emissões fugitivas e visíveis naquela área e atendendo a alguns itens previsos no recente relatório apresentado pela Cetesb com metas para reduzir emissões na Grande Vitória", explica.

Nova bateria 04
A nova Bateria 04 da Coqueria contará com 49 fornos de coque que substituirão os fornos da Bateria 01, que já estão em final de vida útil.O início das obras depende da obtenção da licença ambiental de instalação. 

Caso ela ocorra ainda neste ano, os trabalhos deverão ser iniciados já no último trimestre de 2018. Levando em consideração o prazo da licença, a expectativa é de que a nova bateria já comece a funcionar em 2023.

Despoeiramento

A instalação do novo sistema de despoeiramento, também chamado de filtro de mangas, fará o controle das emissões nos processos de basculamento de escória do KR e do ferro-gusa de emergência. Com isso, a emissão fugitiva, que acontece em média 16 vezes por dia, será controlada pelo filtro. 

Investimentos contínuos
A Arcelor executou um plano, conforme compromisso assumido com o Iema, de investimentos ambientais no valor de R$ 400 milhões. Desde então, já reduziu em 20% as emissões totais de material particulado e, até o final de 2018, a previsão é de uma redução adicional de 15%. 

Dentro do plano, foi inaugurado também o Gas Cleaning Bag Filter, considerada a melhor tecnologia disponível no mundo para controle de emissão em processos de sinterização, segundo a Comunidade Europeia. Também foram implantados dois novos carros de carregamento de Coqueria, dotados da melhor tecnologia de selagem das bocas de carregamento, com sistema automatizado, evitando a ocorrência de emissões fugitivas. 

A modernização tecnológica dos três precipitadores eletrostáticos da Sinterização para remoção de partículas dos gases, e finalizou obras que ampliaram em 50% a capacidade de filtragem do sistema de despoeiramento do desenfornamento de coque.