• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Presidente do Fed diz que tensões comerciais podem prejudicar salários nos EUA

  • COMPARTILHE
Economia

Presidente do Fed diz que tensões comerciais podem prejudicar salários nos EUA

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, afirmou nesta terça-feira que é difícil dizer qual será o resultado das disputas comerciais envolvendo Washington, mas ressaltou que as preocupações com a escalada das tensões podem prejudicar o crescimento dos salários nos Estados Unidos. O dirigente evitou entrar muito em detalhes sobre ações do Fed em um cenário de acirramento das disputas comerciais, mas enfatizou, em sabatina ao Comitê Bancário do Senado dos EUA, que, em geral, países abertos ao comércio crescem mais rapidamente do que outros e que políticas protecionistas levam a piores resultados econômicos.

"Acredito que devemos falar sobre o impacto das tarifas quando formos, de fato, afetados por elas", disse o dirigente aos senadores. Powell também comentou que não vê a União Europeia como inimiga dos EUA mesmo em um cenário de acirramento das tensões comerciais. A visão de Powell contrasta com a opinião do presidente americano, Donald Trump. No último domingo, a rede de TV americana CBS veiculou trecho de entrevista com Trump, onde o republicano afirmou que vê a UE como inimiga dos EUA no comércio. Powell afirmou, ainda, que o agronegócio americano deve ser duramente atingido por tarifas relacionadas a commodities no embate comercial entre Washington e Pequim.

Em relação às pressões inflacionárias em solo americano, o presidente do Fed disse que ainda não é possível declarar vitória sobre alcançar a meta de inflação de 2%, apesar dos quatro principais índices de preços acompanhados pelo banco central terem atingido a marca em maio. Na comparação anual de maio, o núcleo do índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês), considerado a medida preferida de inflação do Fed, subiu 2,0%, no maior nível em seis anos.

De acordo com Powell, parte dos ganhos inflacionários vêm dos fortes preços do petróleo e de energia. Ele disse, ainda, que o núcleo da inflação deve continuar exatamente em torno de 2% para que o Fed possa declarar vitória quanto às pressões inflacionárias e destacou que o mercado de trabalho se fortaleceu e que os trabalhadores americanos estão "em melhor situação". Para ele, o máximo emprego é possível com uma "ampla gama de medidas" como o crescimento salarial. Além disso, o dirigente ressaltou que deseja ver regulações que sejam efetivas e eficientes.

Curva de juros

Indicador que é considerado um antecessor de recessões econômicas, a curva de rendimentos dos Treasuries também foi alvo de questionamentos dos senadores em sabatina de Powell. Segundo o dirigente, a curva é "algo sobre o qual falamos bastante". No entanto, ele ressaltou que o achatamento não o incomoda e disse apenas que olha a curva para obter alguma mensagem sobre as taxas de longo prazo. Além disso, Powell ressaltou que, para o Fed, é importante discutir o nível neutro das taxas de juros.