• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Conta de energia pode aumentar 12,87% no Espírito Santo na próxima semana

Economia

Conta de energia pode aumentar 12,87% no Espírito Santo na próxima semana

Em 2017, o reajuste tarifário anual da EDP Espírito Santo representou, em média, uma variação das tarifas homologadas em 2016 de 9,34%

Uma reunião pública da diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), pode definir um aumento de 12,87% nas contas de energia dos capixabas. Trata-se do Reajuste Tarifário Anual (RTA) da EDP Espírito Santo, sediada em Vitória, que atende aproximadamente 1,5 milhão consumidores em 70 dos 78 municípios do Estado, cujo consumo de energia elétrica representa faturamento anual de R$ 3 bilhões.

No ano passado, o reajuste tarifário anual da EDP Espírito Santo representou, em média, uma variação das tarifas homologadas em 2016 de 9,34%. Segundo a nota, o reajuste conduz a um efeito médio nas tarifas a ser percebido pelos consumidores de 12,87%, sendo de 12,05%, em média, para os consumidores conectados na Alta Tensão e de 13,28%, em média, para os consumidores conectados na Baixa Tensão.

De acordo com a nota técnica, o efeito médio de 12,87% decorre do reajuste dos itens de custos das Parcelas A e B. A Parcela A trata-se de custos cujos montantes e preços, em certa medida, escapam à vontade ou gestão da distribuidora. Os itens que compõem essa parcela são: Custo de Aquisição de Energia, Custo com Transporte de Energia e Encargos Setoriais.

Já a Parcela B representa os custos diretamente gerenciáveis pela distribuidora. São custos próprios da atividade de distribuição que estão sujeitos ao controle ou influência das práticas gerenciais adotadas pela empresa.

Para fins de cálculo tarifário, a Parcela B é composta de Custos Operacionais, Receitas Irrecuperáveis, Remuneração de Capital e Cota de Depreciação. Além disso, é subtraída da parcela compartilhada de Outras Receitas.

Os custos de Parcela B são revisados a cada 4 anos, a depender do que consta do Contrato de Concessão ou Permissão. A esse processo é dado o nome de Revisão Tarifária.

Veja a tabela abaixo que mostra a variação e participação no Índice de Reajuste Tarifário Anual (IRT) das Parcelas A e B:

A reportagem tentou contato com a EDP para comentar sobre o reajuste, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.