• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Elas no comando! Na contramão da crise, mulheres capixabas se reinventam e montam o próprio negócio

Economia

Elas no comando! Na contramão da crise, mulheres capixabas se reinventam e montam o próprio negócio

Para elas, a crise econômica provocada pela pandemia foi o pontapé inicial para deixar o medo de lado e apostar no novo

Foto: Montagem - Folha Vitoria

A pandemia do novo coronavírus afetou a rotina de milhares de pessoas ao redor do mundo. Além da preocupação em relação aos efeitos que o vírus causa na saúde, muitas pessoas precisaram lidar também com as consequências econômicas. 

Demissões, cortes de salários e até falência de empresas, deixaram boa parte da população sem uma fonte de renda ou com dificuldades para conseguir manter o sustento da família. Mas, na contramão de tudo isso, há também quem driblou o medo e as dificuldades e enxergou uma luz no fim de túnel. Com talentos especiais e muita competência, mulheres capixabas estão inovando para conseguir gerar renda e realizar o sonho de ter o próprio negócio. 

Foto: Foto: Arquivo Pessoal

Exemplo disso é a Emilly Serafim, de 23 anos, que usou a criatividade e o carisma para conquistar clientes. A estudante estava sem estágio quando decidiu se arriscar em uma nova empreitada. Ela contou com apoio da família para criar a AYO Pratas, uma lojinha virtual de peças em prata.

A nova experiência tem sido enriquecedora para a jovem. "Nunca trabalhei com vendas, está sendo bem legal! Ocupa minha mente e meu tempo nesse momento difícil que estamos passando", destacou. 

Emilly já conseguiu um estágio, mas pretende seguir em frente com o projeto e garantir uma renda extra no final do mês. A jovem conseguiu enxergar uma oportunidade em meio à pandemia para crescer e conseguir realizar seus sonhos. "Quero juntar dinheiro todo mês para fazer uma viagem quando isso passar. Eu acredito que ninguém vai sair ileso. A pandemia vai deixar marcas em todos nós, mas com fé em Deus, vamos conseguir passar por essa e seguir em frente", afirmou. 

Foto: arquivo pessoal

Reinventar e apostar no novo! Foi isso que a maquiadora e cabeleireira Carina Pinheiro Zani, de 31 anos, fez durante a pandemia. Ela, que tem sociedade em um salão de beleza junto com o esposo, decidiu seguir um novo caminho: o do empreendedorismo. A maquiadora, que também é formada em Administração, criou a lojinha virtual Carina Pinheiro Beauty e não imaginava que tudo fosse acontecer de forma tão rápida. 

"Eu trabalho na área da beleza há cerca de 6 anos. Com a pandemia, comecei a fazer lives de maquiagens e isso tomou uma proporção muito grande, a ponto de começar a indicar produtos que usava para as clientes. Um dia recebi itens de uma loja para fazer anúncios, então um representante da marca chegou e sugeriu que eu vendesse os produtos" contou.

Mesmo receosa, Carina aceitou o desafio e se surpreendeu com o resultado. O novo negócio deu tão certo que ela decidiu ir mais além e já está se preparando para inaugurar sua loja física de maquiagens. A novidade, que ainda era segredo, foi contada com exclusividade ao Folha Vitória. 

"Os planos estão muito além. Tomei a decisão de arriscar mais ainda, onde vou abrir agora, a partir de setembro, se Deus quiser, a minha loja física. Sempre amei a área da beleza! Continuaremos com sociedade no salão, mas eu não estarei trabalhando e meu esposo ficará à frente, juntamente com a nossa sócia. Então os planos são esses: ingressar na área da beleza, no segmento de vendas de produtos, de maquiagens, que é o que eu tanto amo", revela. 

Foto: arquivo pessoal

Falando em espaço físico, a Ana Carolina Calzi, de 26 anos, não pensou duas vezes antes de arriscar e ter o seu próprio cantinho para atender as clientes. Ela pretendia abrir um espaço de beleza em fevereiro, mas com a chegada da pandemia, teve que adiar os planos. "Meu fluxo de clientes aumentou e como eu atendia na minha casa, meu espaço ficou pequeno e não dava mais para atender todos. Além disso, comecei a oferecer outros tipos de serviço, então precisava separar as coisas. Meu plano era abrir em fevereiro, mas veio à tona a pandemia, aí fomos adiando. Passou dois meses, três, quatro e nada. Ai pensei: 'é agora ou nunca'! Todo negócio tem seus riscos e se meu negócio der certo na pandemia, vai à frente", destacou. 

Ana Carolina arriscou, abriu um espaço de beleza mesmo com medo e segue na batalha para conquistar novos clientes e se manter no mercado. Como as redes sociais servem de vitrine para qualquer tipo de negócio, ela criou o perfil Espaço Carol Calzi para ajudar na divulgação e dá uma dica importante para fazer o negócio dar certo. 

"O ponto crucial para ter dado tudo certo em meio à essa pandemia foi conciliar qualidade e preço, porque eu notei que as pessoas estão muito inseguras em relação ao amanhã e à situação financeira. Então você oferecer um serviço de qualidade e com um preço que cabe no bolso, é essencial. Com isso, consigo atender à todos", destacou. 

Foto: Reproducao/ Arquivo Pessoal

A jovem Juliana Aug, de 20 anos, sempre gostou de trabalhar com vendas e precisava de uma renda extra para ajudar em casa. Esse foi o pontapé inicial para montar sua lojinha. Assim como a Ana Carolina e a Carina Pinheiro, o sonho dela é conseguir migrar para uma loja física, mas por enquanto, segue suas vendas no Stores da Ju. "Fiz parcerias que me ajudaram muito nas vendas. Daqui há dois anos, quero ter uma loja física e com um bom número de clientes", revelou.

A bióloga Katherine Fraga Ruas, de 29 anos, e a amiga, Dandara Cabral, de 27 anos, também seguiram o coração e decidirão arriscar. Juntas, criaram a Comezana e começaram a produzir bolos de potes e caixas de presente. As jovens encontram um jeitinho de unir a profissão com o novo talento que descobriram. "Somos Biólogas e evidenciamos ao máximo a importância da sustentabilidade nos nossos produtos. Pelo tempo no mercado, estamos apenas engatinhando, mas aos pouquinhos vamos captando mais clientes" contou Katherine. 

Foto: Foto: Arquivo Pessoal

Ela destaca ainda que o apoio da família e dos amigos é fundamental para crescer no mercado. "Tenho um suporte muito importante dos meus familiares e meu noivo para dar conta de tudo", disse.

Para fazer as entregas, as jovens oferecem o serviço  com apoio de outros profissionais que ganharam espaço na pandemia: os motoboys. Algumas ainda oferecem a possibilidade do cliente ir retirar. Tudo pode ser combinado com antecedência! 


Em comum, os relatos dessas jovens mostram a capacidade das mulheres de enfrentar os desafios, superar os medos e conquistar o lugar que elas quiserem!