• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Reclamações por problemas com internet fixa crescem 32% em 2020

CORONAVÍRUS

Economia

Reclamações por problemas com internet fixa crescem 32% em 2020

O aumento da demanda pelo serviço de internet banda larga fixa provocou também um maior registro de reclamações por problemas de conexão

Foto: Divulgação

Diante da pandemia, surgiu a necessidade de reduzir aglomerações e o contato próximo com outras pessoas, para evitar o contágio da covid-19. Com isso, milhões de pessoas tiveram de se acostumar a estudar, trabalhar e se comunicar com amigos e familiares pela internet.

O aumento da demanda pelo serviço de internet banda larga fixa provocou também um maior registro de reclamações por problemas de conexão. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), foram registradas 393.893 reclamações só no 1º semestre de 2020. Em comparação com o mesmo período de 2019, houve um aumento de 31,8% no número de clientes que tiveram dificuldades para acessar a rede.

Como reclamar

O responsável pela área de telecomunicações do Felsberg advogados, Sérgio Peixoto, explicou que o primeiro passo para resolver um problema com o serviço de internet é entrar em contato com a operadora.

"O cliente deve abrir uma reclamação diretamente com a operadora e guardar todos os protocolos que foram passados durante o atendimento. Assim, se o problema persistir e for necessário abrir uma reclamação na Anatel, essas são as provas que podem ser usadas contra a empresa", explica.

Quando uma reclamação é feita na Anatel, a empresa prestadora do serviço é notificada e obrigadas a dar uma posicionamento sobre a reclamação registrada ou resolver o problema em até 10 dias corridos. 

Peixoto explica que não é somente a instabilidade do serviço que pode render uma reclamação formal. A Anatel determina que a velocidade de conexão deve ser em média 80% do total contratado pelo cliente.

Procurado pelo R7, o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (SindiTeleBrasil) disse que na quarentena houve uma "migração abrupta do tráfego de dados dos escritórios para as casas das pessoas, o que pode ter provocado problemas pontuais, mas sem causar instabilidade às redes, que continuam operando normalmente".

A representante das operadora afirma também que as empresas "reforçaram o monitoramento constante de sua infraestrutura para manter a qualidade da conectividade oferecida aos clientes e estão mantendo equipes de plantão para atender aos pedidos de reparo de redes e serviços para novas ativações".

Com informações do portal R7