Com carros novos em falta, seminovos estão mais caros no ES. Veja dicas para comprar!

Economia

Com carros novos em falta, seminovos estão mais caros no ES. Veja dicas para comprar!

A falta de insumos nas montadoras gerou atraso nas entregas de veículos e, com isso, houve escassez e alta nos preços

Iures Wagmaker

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação

Ter um veículo próprio, por muito tempo, era visto apenas como um sonho. No entanto, isso está se tornando, cada vez mais, uma necessidade. Diante dos riscos de contágio pela covid-19 em ônibus lotados, por exemplo, e em busca de mais agilidade para se locomover, a procura por carros e motos cresceu em 2021.

Se por um lado há muitas pessoas e empresas interessadas na aquisição de veículos, por outro, revendedoras e concessionárias encontram dificuldade para vender e entregar. Isso porque a cadeia produtiva sofre pela falta de insumos para a fabricação de peças.

De acordo com o diretor executivo do Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Espírito Santo (Sincodives), José Francisco Costa, uma série de fatores desencadearam na escassez de veículos e, consequentemente, na alta dos preços.

"Para este ano, havia uma perspectiva de recuperação em relação a 2020, mas não foi possível realizar, pois o abastecimento das montadoras não está atendendo a demanda. Também temos os fatores de compra de veículo para os serviços, no auge da pandemia. Muitas pessoas ainda se dispunham a comprar um veículo novo e dar o usado para troca. Como o abastecimento do novo não estava atendendo a demanda, houve filas", explicou.

A advogada Edilaine Nascimento, que estava em busca de um veículo, notou o alta nos preços. Ela, que começou a pesquisar ainda no ano passado, só concretizou a compra há poucos dias.

"Eu tive dificuldade em encontrar um carro nas características que eu queria e que fosse econômico. Desde o final do ano passado eu venho buscando e quando fui comprar, notei que houve uma elevação nos valores", afirma.

Segundo o diretor do Sincodives, a falta de veículos novos no mercado acarretou no aumento do valor dos usados e seminovos. Consequentemente, todos os tipos de veículos ficaram em falta.

Leia também: Produção de veículos cai 2% em julho frente a junho, diz Anfavea

"Quando se diminui um estoque de novos, também diminui o usado, que também se esgotou. Houve carência de estoque e valorização. Comerciantes colocaram preços de usado para cima. Hoje, o usado e novo estão em dificuldade para serem encontrados", disse.

Previsão é estabilidade para o segundo semestre

A previsão e a expectativa do setor é que a situação seja normalizada em breve. Com isso, pode haver uma estabilidade no valor dos veículos novos, usados e seminovos.

"Para o segundo semestre deste ano, as montadoras têm informado que trabalham para que, a partir de setembro, esteja regularizado. Temos os últimos meses do ano que, historicamente, são bons para as vendas e queremos recuperar a estimativa de venda", afirmou Costa.

Fábrica suspende produção por 10 dias

Apesar da perspectiva de retorno, o setor ainda sofre os impactos da escassez de insumos. Na última quarta-feira (11), a Toyota anunciou a suspensão, por dez dias, da produção na fábrica de Sorocaba, no interior de São Paulo, em razão da falta de peças.

Os funcionários da unidade, onde são montados os modelos Yaris, Corolla Cross e Etios (este para exportação), terão férias entre os dias 18 e 27 de agosto. Como há um fim de semana ao término desse intervalo, eles só retornam em 30 de agosto.

Produção de motos cai 9,9% em julho, diz Abraciclo

A indústria de motocicletas registrou queda de 9,9% na produção de julho na comparação com junho, informou a Abraciclo, entidade que representa as montadoras de veículos duas rodas do polo industrial de Manaus (AM), onde estão quase todas as fábricas de motos do País.

No total, 95 mil motocicletas foram montadas no mês passado, um recuo de 3% frente a julho de 2020. No acumulado desde janeiro, a produção chegou a 663,9 mil unidades, com alta de 35,4% em relação aos sete primeiros meses do ano passado, período afetado pelo choque da chegada da pandemia ao País.

Leia também: Vendas de motos sobem 5,5% em julho ante junho, diz Fenabrave

Apesar da falta de produtos nas concessionárias, dada a limitação de produção em função de restrições da pandemia - especialmente no início deste ano, quando o sistema público de saúde em Manaus entrou em colapso -, as vendas de motos subiram 5,5% na passagem de junho para julho. No comparativo interanual, as vendas do mês passado, de 112,5 mil unidades, marcaram crescimento de 32,2%.

Qual o melhor momento para comprar um carro?

Foto: Reprodução
Guilherme Dietze, economista

De acordo com o economista Guilherme Dietze, não há como definir um momento ideal para adquirir um veículo, pois cada cliente ou família deve avaliar as condições financeiras atuais e o que pode ocorrer.

"Difícil falar qual o melhor momento. Depende de cada família definir seu plano. Há uma dificuldade de chegar veículos novos e muitos estão buscando os usados e seminovos. Como não tem novo, o valor está elevado. Quem precisa de carro agora, vai pagar caro. Não tem saída neste momento e a tendência é esta", disse.

Na impossibilidade de realizar o pagamento a vista, Dietze afirma que a melhor opção para compra do veículo seria o financiamento. No entanto, o cliente deve avaliar as condições de pagamento e juros de cada financeira.

"A própria revendedora sempre tem uma forma melhor para oferecer. Financiamento direto seria uma vantagem. Vale lembrar que a taxa de juros está subindo. Este seria o momento para contrair crédito, pois ficará cada vez mais caro pelo aumento da taxa Selic, que impacta em vários segmentos", explicou.

O consultor automotivo e colunista do Mestre Automotivo, da Pan News Vitória Everton Peroni, destaca que é preciso analisar bem o local e o valor do carro. Preço muito em conta pode não ser um bom negócio.

"Se o carro estiver bem abaixo da tabela Fipe, pode ser um problema. Muitas pessoas estão pegando carros de leilões ou que passaram por inundações, reformando e vendendo estes veículos. Posteriormente, este carro pode dar vários problemas na parte elétrica", explicou.

Ele ainda sugere que um consultor técnico e automotivo seja solicitado para ajudar na negociação e fazer uma boa compra.

"Isso vai evitar que compre um carro que não está faltando revisões ou que não estejam em bom estado. Lá na frente, seja necessário gastar mais", afirma. 

Dicas para comprar veículos neste momento

: : Tente negociar a melhor forma possível de financiamento;

: : Busque quem oferece dar a melhor garantia;

: : Se possível, busque reduzir o tempo de pagamento para aumentar as parcelas;

: : Lembre-se: veículos têm vários custos de manutenção e tudo isso deve ser levado em consideração antes da compra;

: : Se pergunte se é necessário e se precisa disso agora. Se não precisa, aguarde e junte dinheiro, pois a inflação está difícil no momento.