Presidente do BC japonês adota visão mais cautelosa sobre inflação

Economia

Presidente do BC japonês adota visão mais cautelosa sobre inflação

Redação Folha Vitória

Tóquio - O presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, disse hoje que a inflação do país não vai convergir para a meta anual de 2% sem um novo fortalecimento da ligação entre salários, empregos e preços, afastando-se do tom normalmente otimista sobre a possibilidade de o banco central japonês atingir seu objetivo de inflação.

"O elo positivo de resposta entre os aumentos no emprego e nos salários e o avanço na inflação precisa ganhar mais força para atingirmos a meta de estabilidade dos preços a 2%", disse Kuroda, em discurso para executivos em Osaka.

Embora Kuroda tenha repetido a projeção de que a inflação japonesa deverá atingir a meta no período entre abril e setembro do ano que vem, dependendo das oscilações nos preços do petróleo, o último comentário dele pode alimentar especulação de que o BoJ considerará ampliar o relaxamento de sua política monetária, possivelmente no fim de outubro. Fonte: Dow Jones Newswires.