Opep diz que produção de petróleo fora do grupo é mais forte do que se imaginava

Economia

Opep diz que produção de petróleo fora do grupo é mais forte do que se imaginava

Redação Folha Vitória

Paris - A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) disse hoje que a produção da commodity fora do grupo está sendo mais forte do que se imaginava este ano, graças à contribuição dos EUA.

Em relatório mensal, a Opep também citou números contraditórios sobre a produção na Arábia Saudita. O país, que é o maior exportador mundial de petróleo, relatou ao cartel que sua produção teria caído 42,7 mil barris por dia (bpd) em agosto, após atingir nível recorde em julho. Fontes secundárias, no entanto, calculam que a produção saudita avançou 28 mil bpd no mês passado, a 10,6 milhões de bpd.

O documento da Opep sugere que o excesso de petróleo continua, pressionando os preços da commodity para menos de US$ 50 por barril e prejudicando a indústria mundial de energia.

A Opep, que produz mais de um terço do volume de petróleo mundial, agora estima que a produção fora do grupo cairá 610 mil bpd este ano, cerca de 180 mil bpd a menos do que se calculava anteriormente. A nova projeção se deve basicamente ao avanço na produção dos EUA, em especial de óleo de xisto. O número de plataformas em operação nos EUA tem aumentado, apesar dos preços baixos do petróleo.

"Espera-se que a produção de fora da Opep seja maior" no segundo semestre de 2016 do que na primeira metade do ano, comentou a Opep.

Para 2017, a previsão da Opep é que a produção de seus concorrentes aumente 200 mil bpd, com a ajuda dos EUA e o início de operações em um campo do Casaquistão.

A Opep também informou que sua produção recuou 23 mil bpd em agosto, a 33,24 milhões de bpd, de acordo com fontes secundárias, como consultorias e associações industriais. O declínio é menor do que sugerido por uma estimativa preliminar sua, que indicava queda de 200 mil bpd.

A Opep também elevou sua projeção de crescimento da demanda global por petróleo em 10 mil bpd, para 1,23 milhão de bpd, em 2016. Com isso, a demanda mundial deverá alcançar 94,27 milhões de bpd este ano. Fonte: Dow Jones Newswires.