CMN reduz limite de aplicação de previdência de servidor em fundos de risco

Economia

CMN reduz limite de aplicação de previdência de servidor em fundos de risco

Redação Folha Vitória

Brasília - O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou nesta quinta-feira, 19, medida para aperfeiçoar a gestão de ativos dos fundos dos regimes próprios de previdência - voltados para servidores públicos federais, estaduais e municipais.

De acordo com coordenador de seguros e previdência complementar do Ministério da Fazenda, Ernesto Sêrejo, entre outras determinações, a medida reduz os limites de aplicação desses fundos em investimentos em Fundos de Investimento em Participação (FIP) e em Direitos Creditórios (FDIC). Nos casos de fundos dessas modalidades que tenham maior risco, o limite de investimento cairá de 25% para 5%.

Por outro lado, a medida aumentou os limites para investimentos desses fundos em Certificados de Depósito Bancário (CDB) e Fundos de Debêntures de Infraestrutura.

Atualmente existem cerca de 2.105 regimes de próprios de previdência no País, com aproximadamente 10 milhões de segurados e em torno de R$ 135 bilhões em reservas aplicadas. O prazo para que os fundos se enquadrem nas novas regras é de 180 dias.